Vacina tríplice viral: conheça a vacina contra caxumba, sarampo e rubéola

Imunização previne sarampo, caxumba e rubéola

REVISADO POR
Dra. Isabella Ballalai
Pediatria - CRM 480395/RJ
especialista minha vida

O que é a vacina tríplice viral

A vacina tríplice viral é uma combinação de vírus vivos atenuados contra o sarampo, a caxumba e a rubéola, apresentada sob a forma liofilizada, em frasco-ampola com uma ou múltiplas doses. Todos os três componentes desta vacina obrigatória são altamente imunogênicos e eficazes, dando imunidade duradoura por praticamente toda a vida. A proteção inicia-se cerca de duas semanas após a vacinação.

PUBLICIDADE

Doenças que podem ser prevenidas pela vacina triplice viral

Vacina tríplice viral: sarampo, caxumba e rubéola devem ser prevenidas também na fase adulta

O sarampo é uma doença infectocontagiosa causada por um vírus chamado Morbillivirus. A enfermidade é uma das principais responsáveis pela mortalidade infantil em países do terceiro mundo e causa de surtos em países desenvolvidos onde a cobertura vacinal não é alta

A caxumba é uma doença contagiosa que provoca o inchaço doloroso das glândulas salivares. A caxumba é causada por um vírus, que se dissemina de uma pessoa para outra por via respiratória (através de gotículas ao espirrar, por exemplo) ou por contato direto com itens que foram contaminados pela saliva infectada.


A rubéola também é causada por um vírus que se transmite de uma pessoa para outra por via respiratória. É geralmente benigna, mas, quando ocorre na gravidez, pode fazer com que o feto desenvolva a síndrome da rubéola congênita, caracterizada por uma série de malformações. Uma pessoa com rubéola pode transmitir a doença a outras pessoas desde uma semana antes do início da erupção até uma a duas semanas depois do seu desaparecimento.

No Brasil, graças às sucessivas campanhas de vacinação e aos programas de vigilância epidemiológica, o sarampo, a rubéola e a síndrome da rubéola congênita foram recentemente erradicados. Para que essa situação se mantenha, a vacinação não pode parar.

Indicações da vacina

Crianças com mais de 12 meses, adolescentes e adultos devem ser vacinados.

Grávida pode tomar essa vacina?

Não

Doses necessárias da vacina tríplice viral

Crianças devem receber a primeira dose aos 12 meses e a segunda aos 15 meses de idade. Considera-se adequadamente vacinado o indivíduo que tiver recebido duas doses depois da idade de um ano.


Pessoas que não se vacinaram quando bebês podem receber a vacina em qualquer momento da vida. Ela será ministrada em 2 doses para quem tiver até 29 anos de idade, e em dose única para pessoas após os 30 anos.

Administração da vacina

A injeção é feita via subcutânea no braço.

Contraindicações

  • Antecedente de reação anafilática sistêmica após a ingestão de ovo de galinha. Entende-se por reação anafilática sistêmica a reação imediata (urticária generalizada, dificuldade respiratória, edema de glote, hipotensão ou choque) que se instala habitualmente na primeira hora após o estímulo do alérgeno (ingestão de ovo de galinha, por exemplo)
  • Gestantes
  • Administração de imunoglobulina humana padrão (gamaglobulina), sangue total ou plasma nos três meses anteriores
  • As vacinas com vírus vivos atenuados não devem ser aplicadas em pessoas imunodeprimidas.

Efeitos adversos possíveis da vacina tríplice viral

Febre e erupção cutânea de curta duração, ocorrendo habitualmente entre o quinto e décimo dia depois da vacinação.

Onde encontrar

A vacina está disponível nas redes pública e privada. Alguns convênios médicos cobrem esta vacina no sistema particular de saúde. Consulte sua operadora para ver se seu plano oferece essa cobertura.

Perguntas frequentes

Existem exames que podem identificar se estamos imunizados?
Vacinas de patógenos vivos, que podem causar a doença, conseguem sim ser identificadas por meio de exames de sangue - mas isso não tem relevância no ponto de vista médico. Isso porque a única forma de comprovar que uma pessoa está vacinada ou não é pela apresentação do registro na carteirinha. O Ministério da Saúde só considera vacina válida aquela em que o registro foi credenciado corretamente por uma corporação autorizada.

Fontes:

Ministério da Saúde

Clínico geral Eduardo Finger (CRM: SP72161), coordenador do departamento de pesquisa e desenvolvimento do SalomãoZoppi Diagnósticos.

Posso atualizar minha carteirinha de vacinação em qualquer idade?

Sim, visto que até mesmo doenças clássicas da infância, como caxumba, sarampo e rubéola podem acometer adultos. Embora o ideal seja seguir o calendário de vacinação e se imunizar nas idades recomendadas, é importante atualizar as suas vacinas a qualquer momento ? desde que ainda existam indicações (vacinas incluídas nos calendários para cada faixa etária).

É importante destacar que há vacinas importantes que não são dadas durante a infância, caso da que previne a herpes zoster, indicada somente a idosos. Além disso, ao contrário do que muitos pensam, nem todas as doenças geram proteção para a vida toda. Uma pessoa que teve catapora não precisará da vacina que previne a enfermidade, mas uma que foi infectada pela bactéria que causa a coqueluche pode voltar a ter a doença se não se vacinar adequadamente.

Outro ponto que merece atenção é o surgimento de doenças crônicas e outras condições que podem gerar riscos específicos e, portanto, recomendações especiais. Por exemplo, a vacina Haemophilus influenzae b, indicada rotineiramente apenas para menores de 5 anos, pode também estar indicada para maiores, inclusive adultos com comorbidades, p.ex asplenia (falta do baço).

Se eu não me lembro de ter tomado a vacina, posso ir ao posto e repetir a dose?

Sim. A melhor medida a fazer nesses casos é conferir a carteirinha de vacinação. Mas se você a perdeu por algum motivo, ou então achou que estava vacinado, mas não consta no registro, o melhor a fazer é se vacinar, ainda que repetidamente.

Se eu tomei a vacina combinada, preciso tomar a mesma individualmente?

Vacinas combinadas, como a vacina tríplice bacteriana (difteria, tétano e coqueluche), a vacina tríplice viral (caxumba, sarampo e rubéola), a penta de células inteiras (tríplice mais o haemophilus e a hepatite B) e a hexa acelular (tríplice bacteriana mais o haemophilus, a hepatite B e a pólio inativada) são um conjunto de diversas vacinas em uma só, como o próprio nome diz. Ao tomá-las, você está recebendo doses de cada uma das vacinas nelas contidas, com a mesma segurança e eficácia, sem que para isso tenha que receber várias injeções.

Posso tomar as vacinas antes do tempo determinado?

Não, as idades mínimas de recomendação e os intervalos mínimos entre as doses devem ser respeitados. s indicações etárias levam em conta a recomendação epidemiológica, ou seja, o período da vida no qual você corre mais risco de sofrer aquela doença ou suas complicações. Por isso que algumas vacinas da infância não precisam mais ser ministradas em adultos, pois o período de risco já passou. A lógica é a mesma para vacinas ministradas apenas em adultos.

Posso atualizar toda a carteirinha de vacinação de uma vez?

Se você for uma pessoa saudável, que não estiver com o sistema imune debilitado, não há qualquer impedimento. O único problema é o desconforto de ser vacinado várias vezes seguidamente. Há também aquelas vacinas que são separadas em doses, e o ideal é que essas sejam respeitadas, para que a resposta do sistema imune seja duradoura.

Pessoas com alergia a alguma vacina não poderão tomá-la nunca mais?

No geral, é muito difícil uma pessoa ser alérgica à vacina em si, mas a outros elementos que estão dentro dela. As contraindicações existem somente para pessoas que já sofreram um choque anafilático após a aplicação da vacina ou ao ter contato com algum de seus componentes. Para pessoas com história de choque anafilático após ingestão de ovo estão contraindicadas a vacina febre amarela e outras como a tríplice viral. Pessoas com história de anafilaxia ao mercúrio e látex devem se aconselhar com o médico, já que os frascos de vacinas multidose podem conter as substâncias.

Se eu perder minha carteirinha terei que vacinar tudo novamente?

Sim, pois vacina válida é somente aquela vacina que foi registrada. Se você toma suas vacinas em uma clínica privada, provavelmente o local terá em registro um histórico das suas vacinas, não sendo necessário tomar novamente. Entretanto, a rede pública ainda não conseguiu informatizar esses dados, por isso uma pessoa que se vacina na rede pública e perde sua carteirinha precisará tomar todas as vacinas recomendadas para adultos novamente.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.