Manchas hepáticas: sintomas, tratamentos e causas

Visão Geral

O que é Manchas hepáticas?

Sinônimos: manchas senis

Manchas hepáticas são áreas mais escuras da pele que surgem com o passar da idade. Podem ser pontos marrons ou pretos que aparecem em áreas mais expostas ao sol. Também chamadas de manchas senis, elas são mais comuns a partir dos 50 anos, mas pessoas mais jovens podem apresentá-las se passarem muito tempo expostas ao sol.

Sol e pele: conheça os bons e maus efeitos - SAIBA MAIS
22 de 22
PUBLICIDADE

Apesar das manchas hepáticas levarem esse nome, elas nada tem a ver com o fígado. Elas são inofensivas, mas podem ser tratadas por razões estéticas.

Causas

A principal causa das manchas hepáticas é a exposição aos raios ultravioleta do sol. O uso de bronzeadores pode contribuir para o aparecimento dessas manchas.

O pigmento que dá a cor da pele é chamado melanina. A luz UV acelera a produção de melanina, o que resulta em uma pele mais escura. Depois de anos de exposição ao sol, a melanina fica agregada em certas áreas, produzindo as manchas hepáticas.

Algumas pessoas podem ser mais susceptíveis à formação de manchas de idade devido à constituição genética. Por exemplo, indivíduos com pele clara e cabelos loiros podem ser mais propensos a desenvolver manchas hepáticas.

Fatores de risco

Embora qualquer pessoa possa desenvolver manchas hepáticas, algumas situações podem elevar o risco desse problema. Veja:

  • Ter a pele clara e os cabelos loiros
  • Histórico de exposição solar frequente ou intensa
  • Histórico de queimaduras solares

Sintomas

Sintomas de Manchas hepáticas

Manchas hepáticas geralmente se desenvolvem em pessoas com a pele clara, mas também podem ser vistas em pessoas com a pele escura. As manchas hepáticas podem ser:

  • Áreas planas e ovais pigmentadas
  • Marrons ou pretas
  • Mais comuns em locais com maior exposição solar, como as costas das mãos, topo dos pés, rosto, ombros e parte superior das costas
  • Solitárias tendo em média 13 milímetros e diâmetro, ou então agrupadas, ficando proeminentes

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Condições que se assemelham às manchas hepáticas

Manchas hepáticas são inofensivas. Entretanto, algumas doenças de pele mais graves apresentam sintomas parecidos, como melanoma e queratose. Marque uma consulta médica se as manchas apresentarem:

  • Pigmentação muito escura
  • Aumento em tamanho ao longo de um curto período de tempo
  • Bordas irregulares
  • Coceira, sensibilidade, sangramento, ou vermelhidão
  • Uma combinação de cores

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar uma mancha hepática são:

  • Clínico geral
  • Dermatologista

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando você começou a notar as manchas em sua pele?
  • As manchas apareceram gradualmente ou rapidamente?
  • Você já notou quaisquer outras mudanças na aparência da sua pele?
  • As manchas causam coceira, sangramento ou qualquer outro incômodo?
  • Você já experimentou queimaduras solares frequentes ou graves?
  • Você protege regularmente sua pele da radiação UV?
  • Que tipo de proteção solar você usa?

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para manchas hepáticas, algumas perguntas básicas incluem:

  • Quais mudanças suspeitas devo procurar na pele?
  • Se as manchas são uma consequência da idade, o que pode ser feito para melhorar a aparência?
  • Quais tratamentos podem clarear as manchas?
  • Poderiam esses pontos se transformar em câncer de pele?

Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

Diagnóstico de Manchas hepáticas

O diagnóstico de manchas hepaticas é feito basicamente analisando a pele do paciente. Se há suspeitas de outras condições, como câncer de pele, o médico ou médica pode pedir exames adicionais, como a dermatoscopia digital ou biópsia do tecido.

Tratamento e Cuidados

Tratamento de Manchas hepáticas

Se você está infeliz com a aparência das manchas hepáticas, existem tratamentos capazes de clareá-las ou removê-las. Confira:

  • Cremes clareadores, como aquelas a base de hidroquinona, que podem ser acompanhados de retinoides ou esteroides. O uso de um filtro solar com um fator de proteção acima de 30 é recomendável. Os tratamentos podem resultar em coceira temporária, vermelhidão, ardência ou secura.
  • Laser e terapia com luz intensa pulsada, que normalmente exigem várias sessões. Após o tratamento, as manchas desaparecem gradualmente ao longo de várias semanas ou meses. Proteção solar também é necessária.
  • Crioterapia, que envolve a aplicação de agentes químicos que congelam e destroem o pigmento excessivo. O congelamento é normalmente usado em um ponto da idade único ou um pequeno grupo de manchas de idade. O tratamento pode irritar a pele temporariamente e representa um pequeno risco de cicatrizes permanentes ou descoloração.
  • Dermoabrasão, que consiste em lixar a camada superficial da pele com uma escova de rotação rápida. Este procedimento remove a superfície da pele, e uma nova camada de pele cresce em seu lugar. Vermelhidão temporária e formação de crosta podem resultar deste tratamento.
  • Peeling químico, que envolve a aplicação de um ácido para queimar a camada exterior da pele. À medida que uma nova pele é formada, a mancha desaparece. Podem ser necessárias várias sessões e o protetor solar é altamente recomendável. Pode ocorrer irritação e há um pequeno risco de descoloração.

Prevenção

Prevenção

A melhor maneira de prevenir as manchas hepáticas é evitando a exposição excessiva ao sol e utilizando protetor solar.

Fontes e referências

  • Academia Americana de Dermatologia
  • Clínica Mayo
  • National Center for Biotechnology Information