Ausência de suor: tratamentos e causas

REVISADO POR
Dra. Tatiana Gabbi
Dermatologia - CRM 104415/SP
especialista minha vida

Visão Geral

O que é Ausência de suor?

Sinônimos: diminuição da transpiração, anidrose

A anidrose é a ausência anormal de suor que deveria ocorrer em resposta ao aumento da temperatura do corpo. O suor é um mecanismo de regulação da temperatura e ocorre para abaixá-la, em casos em que haja um aumento da mesma. A temperatura do corpo é importante para a ocorrência das reações e processos químicos normais que mantêm nosso corpo saudável. Essa ausência de suor pode ser parcial ou generalizada.

PUBLICIDADE

O sintoma mais comum é a própria ausência de suor, porém raramente ela é percebida. Além disso, sensação de tontura e vertigem, corpo gelado por fora e quente por dentro, câimbras musculares em locais diversos estão relacionados ao problema.

A função primordial da sudorese não é a eliminação de líquidos e sim a regulação da temperatura. Portanto, não há substituição desta função no organismo. É claro que no frio, por suarmos menos, urinamos mais.

Causas

A ausência de suor é hereditária em alguns casos, no entanto, na grande maioria das vezes ela é um sintoma de alguma outra condição. A utilização de certos medicamentos também pode provocar uma disfunção na capacidade de suar, sendo que, geralmente, ao parar com o uso dos mesmos o corpo volta a funcionar normalmente. Outro fator que influi bastante é a velhice, pois o organismo vai aos poucos perdendo a capacidade de regulação da temperatura. De uma forma geral, pode-se dizer que é o mau funcionamento das glândulas sudoríparas que gera a condição.

Outras causas:

  • Doenças de pele que bloqueiam as glândulas sudoríparas
  • Cicatrizes
  • Uso de determinadas medicações
  • Trauma nas glândulas sudoríparas (após cirurgia)
  • Queimaduras de terceiro grau
  • Alterações neurológicas
  • Doenças hereditárias cutâneas ou das glândulas sudoríparas (raro).

Fatores de risco

Entre os fatores de risco para ausência de suor, encontramos:

  • Idade avançada
  • Uso de determinados medicamentos
  • História familiar de ausência de suor.

Diagnóstico e Exames

Buscando ajuda médica

Procure ajuda médica se há casos na família de ausência de suor, nesses casos deve-se ficar atento ao possível desenvolvimento de anidrose.

Pessoas em tratamentos para náuseas, incontinência urinária e pressão alta, por exemplo, usam medicamentos que podem acabar levando a disfunções nas glândulas sudoríparas, portante também devem estar atentas a qualquer redução na produção de suor.

PUBLICIDADE

Diagnóstico de Ausência de suor

O diagnóstico da ausência de suor é feito através de exames físicos e de uma conversa com o paciente. Além do uso de medicamentos, a ausência de suor pode ser genética, por isto é fundamental conhecer o histórico da pessoa. Depois que o diagnóstico é estabelecido um tratamento necessita ter início. A anidrose pode ser interrompida ou diminuída através de simples medidas, portanto, não hesite em procurar por ajuda médica.

Podemos controlar quando os casos são esporádicos ou não associados a fatores complexos, ou seja, quando não se trata de doença genética grave. Nesses casos não há muito o que fazer, a não ser medidas com impacto no estilo de vida, como:

  • Evitar esforços em geral
  • Utilizar roupas leves e manter-se frequentemente em ambientes com ar-condicionado e controle de temperatura
  • Evitar comidas termogênicas e muito condimentadas.

As anidroses provocadas devido ao uso de certos medicamentos podem ser controladas através da interrupção do uso dos mesmos. Na grande maioria das vezes o corpo volta a funcionar normalmente depois que os medicamentos são cortados.

Provavelmente, todas as pessoas irão sofrer de ausência de suor um dia, já que a condição é comum em idosos. Aprender a lidar com ela é a melhor forma de evitar transtornos e de melhorar a qualidade de vida.

Tratamento e Cuidados

Cuidados

Caso você perceba a ausência de suor, deve tomar certos cuidados até a consulta médica, como controlar a temperatura ambiente, evitar comidas muito condimentadas, usar roupas leves e evitar medicações que não sejam estritamente recomendadas por médicos.

PUBLICIDADE

Fontes e referências

  • Tatiana Gabbi, dermatologista e médica assistente do Departamento de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (CRM-SP 104.415)