Homeopatia para crianças: veja o que muda na consulta

Especialistas nesta área costumam fazer observação mais minuciosa das crianças

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 29/11/2017

Dra. Isis Dulce Pezzuol
Pediatria - CRM 39546/SP
especialista minha vida

A homeopatia, assim como a alopatia, avalia os pacientes a partir de seus sintomas, e dessa forma prescreve seus tratamentos. A diferença reside na forma de observarmos e o que é considerado como sintoma. Por exemplo, as queixas mais óbvias que levam as crianças ao pediatra (como febre, tosse, tremores), entram no tratamento homeopático como "sintomas de quadro clínico agudo". Mas então chega ao consultório uma criança que a mãe te conta que está "diferente do habitual" e você então examina e não encontra nada, quer dizer que você está errado.

PUBLICIDADE

Em sala de aula, dizia-se aos residentes que se a mãe disse que está esquisito, a criança está. Ouvi certa vez que as mães são "tentaculares", conhecem seus filhos pelo olhar, pelo cheiro, sabem que está fora do habitual.

A importância de observar bem uma criança

Para o homeopata essa queixa "meu filho está diferente" abre um leque cheio de possibilidades, por vezes não consideradas em uma consulta alopática, como nascimento do irmão menor, crises de agressividade e/ou choro e/ou inapetência e/ou passar a necessitar novamente de fraldas.

Mas como isso pode ser tratado? Temos diante de nós uma criança que está internalizando sua dor e se não tratada homeopaticamente, irá com certeza desenvolver uma doença.

As crianças começam a adoecer, excetuando-se as doenças agudas e contagiosas, pelo mental. Tem uma alteração de psique, ficam mais choronas, sono interrompido, recusa alimentar, sintomas muito vagos, mas já te contando que as coisas não estão andando bem em sua vidinha.

O que muda na consulta das crianças?

A consulta de crianças difere um pouco pois o informante é a avó, os pais, a babá e aí dependemos da capacidade de observação do adulto em questão.

A postura da criança em consulta também nos diz muito: indiferente, receptiva, intolerante ao toque, a criança que não se deixa examinar. O olhar, se a criança olha e responde quando o pediatra chama, nos bebês o tato.

Então, na consulta, se o homeopata e o bom pediatra costumam ser bons observadores, teremos uma infinidade de informações.

Vale lembrar que a avaliação da dinâmica familiar é parte importante da consulta, levando em conta qual o lugar que essa criança ocupa no núcleo familiar. Descuido e tristeza também adoecem.

Por que muitas mães levam suas crianças desde cedo aos homeopatas pediatras?

A consulta homeopática é mais rica em detalhes, queremos saber o dia a dia das crianças, como desperta, preferências alimentares, posição e horário de sono, essas características nos diferenciam, somos da mesma espécie, mas únicos enquanto pessoas.

Então, sem pressa e com muita tranquilidade ao longo das consultas, conseguimos encontrar o que chamamos de "simillimum" o medicamento que descreve a forma de ser e de sentir. Na repetição das doses mantemos a criança em equilíbrio. Ah, então ela não vai adoecer? Vai adoecer sim mas a resposta do corpo é muito melhor e a cura se dá mais rapidamente.

A mãe, ao fazer a escolha de um pediatra homeopata, que tenha título de especialização nas duas áreas, passa a ter os benefícios da pediatria somada aos da homeopatia. É um pediatra com ?algo a mais?.

Tratando a criança desde bebê prevenimos uma série de intervenções medicamentosas que acabam por desviar a criança dos caminhos de cura naturais. Isso não quer dizer que a criança não deverá tomar medicação mas sim evitar os excessos.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.