Como saber se eu tenho mau hálito?

Especialista explica as principais causas e como detectar o problema

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 25/08/2017

Dra. Eliana Avelãs
Odontologia - CRO 32254/SP
especialista minha vida

Halitose (mau hálito) é um problema constrangedor tanto para quem tem como para quem sente. De um lado as pessoas não têm coragem de avisar quem está com mau hálito. Do outro lado, a própria pessoa não consegue identificar se está com hálito bom ou mau.

PUBLICIDADE

Não há como identificar se tenho mau hálito?

Nós não conseguimos sentir o próprio hálito porque o nosso corpo tem um mecanismo no cérebro que "apaga" os cheiros que são contínuos. O mesmo acontece com o cheiro do seu perfume. Na hora em que você passa, você sente, depois de um tempo não sente mais.

Existem aparelhos que prometem medir o grau e as substâncias que compõem o mau hálito: afinal o hálito humano pode conter mais de 3000 compostos gasosos distintos e apenas os aparelhos de cromatografia gasosa podem medir todos esses compostos.

Os aparelhos portáteis, são capazes de medir apenas uma parte dos compostos como, por exemplo, os que contêm enxofre. Esses aparelhos portáteis dão resultados pouco estáveis. Pessoas que compraram esses aparelhos, dizem no mesmo minuto, dá o diagnóstico de mau hálito e em seguida o diagnóstico de ausência de mau hálito.

Conclui-se que, esses aparelhos portáteis vendidos pela internet, causam confusão e podem afetar negativamente a autoconfiança e a autoestima.

O que fazer para detectar o mau hálito?

O ideal é conversar com pessoas ao seu redor, ou buscar a avaliação de um odontologista. A segunda opção é a melhor, pois por mais que ele não seja uma doença, indica que algo não vai bem em seu organismo.

Muitos acreditam que mau hálito vem do estômago, mas 90% dos casos de halitose são de origem bucal, 8% de origem otorrinolaringológica, 1% digestiva e 1% outras causas.

Na boca, entre as principais causas de halitose estão a saburra da língua, doenças da gengiva, cáries, acúmulo de resíduos em próteses ou restaurações mal adaptadas, higiene bucal deficiente. Veja alguns desses mecanismos:

  • As doenças bucais que causam sangramento e formação de pus provocam um mau hálito muito forte, que pode ser percebido a grande distância. Para todas estas causas a melhor solução é procurar um dentista
  • A redução do fluxo salivar (boca seca) causada por antidepressivos, hipertensão, estresse, febre, gripe, aumentam o risco de mau hálito. Assim, beber muita água e mascar chiclete sem açúcar pode ajudar, pois o estimulo da mastigação aumenta a formação de saliva
  • Diabetes, exercícios físicos vigorosos, dieta pobre em carboidratos e jejum prolongado, também são motivos para mau hálito. Essas causas não vêm do estômago, mas do metabolismo das gorduras
  • A prisão de ventre faz com que os detritos fiquem no intestino por muito tempo. Isso leva a maior proliferação de bactérias e a absorção de toxinas malcheirosas. Essas toxinas passam para o sangue e são expelidas pelo ar dos pulmões
  • Alguns alimentos como alho, cebola e ovo, podem deixar hálito com cheiro forte.

O dentista será capaz de tratar as doenças presentes na boca, corrigir restaurações e próteses defeituosas e dar a orientação necessária para se conseguir uma higiene correta dos dentes, língua e próteses.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.