Adote oito hábitos para conviver bem com a fibromialgia

Praticar exercícios e reconhecer seus limites ajuda a aliviar os sintomas

Caracterizada por uma dor intensa que se espalha pelo corpo, partindo principalmente do tecido mole da nuca, ombros, tórax, região lombar, quadris, canelas, cotovelos e joelhos, a fibromialgia tem com principais complicações da doença fadiga, depressão e distúrbios do sono. A doença pode ser controlada com algumas medidas e mudanças no estilo de vida. Confira as dicas dos especialistas e veja como amenizar as dores e conviver melhor com a fibromialgia:

Exercícios, a principal arma contra a doença

"Todo tratamento da fibromialgia obrigatoriamente terá que contemplar atividade física", diz o reumatologista Roberto Heymann, do Grupo de Apoio à Paciente com Fibromialgia, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). O especialista explica que a escolha da modalidade a ser praticada fica a critério do paciente, segundo seus gostos e limitações. A atividade aeróbica é mais efetiva dos que as demais, como uma caminhada de 30 a 45 minutos, cinco vezes por semana. "Ao contrário do que imaginamos, a inatividade em pacientes com fibromialgia gera mais dor", afirma o reumatologista Roberto. Por isso, um paciente que está sentindo dores não está contraindicado para fazer exercícios, mesmo que essas sejam intensas - nesse caso, tenta-se diminuir sua dor com tratamento medicamentoso, para que ele suporte a atividade física. "Deve-se, contudo, analisar a característica da dor para definir se não há outro problema associado que possa interferir ou piorar com o exercício", diz o reumatologista Nilton Salles Rosa Neto, membro da Comissão de Dor, Fibromialgia e Outras Síndromes Dolorosas de Partes Moles, da Sociedade Brasileira de Reumatologia.

Roberto explica que no início a dor pode até piorar com a atividade, mas que ela se faz absolutamente necessária para o bom andamento da doença. O reumatologista Nilton afirma que os exercícios na água são úteis para pacientes que não toleram o impacto ou tenham outras comorbidades, como a artrose. "É importante fixar uma regularidade da prática, sendo recomendado de duas a três vezes por semana em horário pré-definidos, porém com realização de atividades físicas não programadas nos outros dias, como caminhar e subir ou descer escadas."

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.