3 dicas para fazer treinos da internet sem prejudicar a saúde

Exercícios indicados por blogueiras ou apps fitness devem ser feitos com cuidado

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 20/07/2017

Juliana Massi Campanholo
Educação Física - CREF 024704/SP
especialista minha vida

Para uma camada da população, são muitas as razões para não se movimentar. De acordo com o Ministério do Esporte, 46% da população usa a falta de dinheiro, de tempo ou motivação como argumento. E o que fazer para diminuir esse número?

PUBLICIDADE

Bom, as redes sociais estão focadas nisso! Os aplicativos, sites e blogs estão cheio de informações sobre atividades físicas veiculadas em vídeos e matérias, tudo para movimentar a vida dos sedentários, melhorar a aparência do próprio corpo ou até mesmo ter mais qualidade de vida e saúde. Tudo certo até ai! Mas será mesmo possível se exercitar "a distância" corretamente, sem a supervisão e orientação de um profissional? Eis a questão...

Para os marinheiros de primeira viagem os cuidados devem ser dobrados para que a motivação não se transforme em lesão. Veja algumas dicas:


1. Entenda quem é seu influenciador

As redes sociais e aplicativos são grandes motivadores para quem quer começar a fazer exercícios físicos, mas é fundamental é analisar quem está te "empurrando" para esse começo.

São milhares os que falam de exercício físico por ter um corpo sarado e forte, mas que o conhecimento fisiológico de como esse funciona é bem pouco ou zero. As blogueiras (os) e musas fitness são campeãs em fazer isso, mas muitas não possuem formação em educação física para prescrever um exercício, mesmo que para iniciantes.

2. Procure uma orientação inicial

Exibir imagens do belo corpo, faça isso ou aquilo virou hábito... A correção quando o movimento é executado, o nível do exercício e quem pode de fato fazer está em falta no mercado. Por isso pode não ser tão benéfico como a imagem prometida. Dar atenção a quem você está "seguindo" é básico e fácil.

Busque informação, saiba se é habilitada (o) na área e tem experiência, caso contrário fuja o quanto antes. Existem os bons profissionais de educação física que mesmo a distância pode te ajudar, pois sabem quais exercícios são cabíveis de serem realizados, fornecem as instruções e mostram o que deve ser evitado durante o movimento.

Ver o profissional pessoalmente em um primeiro momento permitirá que ele avalie suas condições físicas, perceba se você têm lesões e passe uma atividade muito mais personalizada, que ele poderá acompanhar presencialmente ou há distância.

3. Pense no quanto você conhece seu corpo

O ideal é apenas começar um treinamento como esse quando já se possui uma certa consciência corporal. Caso contrário a prática pode ser mais prejudicial que benéfica devido alto risco de lesões como fraturas, estiramentos musculares, fortes dores musculares pós exercício e até mesmo desenvolver artroses ou hérnias com a prática incorreta, sem falar dos problemas cardíacos. E isso vale não só para os aplicativos como também copiar exercícios das musas fitness citadas acima. Elas toleram determinados exercícios e você?

O corpo precisa estar alinhado e coordenado para receber o movimento e claro que é a prática dos treinos, suas vivências que vão desenvolver tais capacidades, mas para isso é necessário respeitar seus limites.

Além disso, é importante observar se essa prática específica causa dores ou outros desconfortos enquanto está sendo executada. Evite a alta intensidade como corridas em velocidades fortes, saltos e os altos pesos se você for um dos marinheiros de primeira viagem.

O movimento correto dá ao corpo a forma correta (Piret & Béziers)