Voluntários doam amor e carinho para crianças que vivem em ONG

Doadores voluntários dedicam um pouco de seu tempo proporcionando a convivência familiar para crianças que aguardam adoção

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 04/09/2017

Doar nem sempre tem a ver com dinheiro. Em alguns casos, basta apenas dedicar um pouco do seu tempo, da sua atenção e do seu carinho. É justamente esse o pedido da agência de adoção americana Spence-Chapin: eles buscam pessoas que estejam dispostas a dar um pouco de amor e carinho para crianças que esperam serem adotadas.

PUBLICIDADE

O único pedido aos voluntários é de que eles não doem nada além do que sua própria disponibilidade, oferecendo momentos agradáveis aos pequenos. As pessoas que quiserem participar precisam realizar um pequeno curso de formação, que a própria ONG oferece. É possível cuidar da criança por um período entre duas até seis semanas. Também é pedido que seja realizado um diário de convivência, incluindo relatos e fotos desse período.

No Brasil existem programas parecidos. O "Famílias Acolhedoras", do Instituto Fazendo História, é uma iniciativa de acolhimento para crianças e adolescentes que foram separados de sua família biológica, por motivos que algumas vezes colocam em risco a segurança da criança, e que recebem encaminhamento para conviverem com famílias cadastradas, que passam por um curso de formação.

Já o programa "Apadrinhamento Afetivo", também do Instituto Fazendo História, busca oferecer a dinâmica da convivência familiar e comunitária para crianças entre 7 e 17 anos que tenham vínculos familiares fragilizados ou rompidos, mas que possuem chances remotas de adoção ou de reintegração familiar.