luzia e mais 2 pessoas perguntaram:

Qual o remedio mais eficaz no tratamento da esquizofrenia?

  • Respondido em 06/07/2015
    Dr. Ivan Mario Braun Psiquiatria - CRM 57449/SP
    especialista minha vida
    Olá,

    A esquizofrenia é um transtorno caracterizado por um surto psicótico (i.e., a pessoa perde seu senso de realidade, assumindo crenças incompatíveis com a realidade [delírios], ouvindo e considerando reais vozes alucinadas [que lhe dão ordens, comentam seus comportamentos e/ou conversam entre si]); considera-se também psicótica a pessoa que tem comportamentos bizarros ou alterações graves da capacidade de falar de modo coerente, sem que se aperceba destas dificuldades.

    Em seguida ao surto psicótico, habitualmente a pessoa desenvolve uma série de defeitos comportamentais e emocionais, com redução de sua capacidade de cuidar-se adequadamente, de trabalhar e estudar, uma intensa falta de motivação e objetivos (que lembra, algumas vezes, a depressão) e, às vezes, a pessoa chega até a perder a capacidade de sentir emoções.

    As medicações consideradas mais eficazes no combate aos assim chamados "sintomas positivos" (delírios e alucinações) são aquelas que possuem um grande poder de bloqueio da dopamina (uma das principais substâncias químicas cerebrais envolvidas na causa da esquizofrenia): exemplos destas medicações são o haloperidol e a risperidona. Por outro lado, para tratar os sintomas chamados de "negativos" (cujo principal exemplo é a desmotivação), as drogas mais eficazes são aquelas que atuam, também, sobre a serotonina (outra substância química cerebral), que são, de modo geral, os antipsicóticos mais modernos, como a própria risperidona, a olanzapina e, principalmente, a clozapina. A clozapina parece ser a mais eficaz, mas seu uso requer muitos cuidados e, por isto, geralmente só é usada quando não se tem sucesso com outros remédios.

    Além dos remédios, é muito importante que o paciente tenha uma abordagem comportamental e uma ressocialização, através de profissionais psicólogos, assistentes sociais e terapeutas ocupacionais.