Medo de barata: por que temos e como tratar

Entenda como esse pavor surge e se ele pode ser tratado

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 18/08/2017

Adriana de Araújo
Psicologia - CRP 56802/SP
especialista minha vida

Todo mundo conhece alguém que sente medo de baratas. Existe até um nome para isso: catsaridafobia. Mas sabemos que o medo existe sempre para nos proteger de algo que possa ser perigoso, e não é o caso das baratas, certo?

PUBLICIDADE

Então, por que sentimos medo de baratas?

O problema é que, muitas vezes, o sistema de ?proteção? interna identifica algo como um perigo erroneamente. Ou seja, é como se estivéssemos sendo exageradamente cautelosos. E aquilo que parece amedrontador não passa de uma fantasia desmedida.

Muitas pessoas sentem nojo, repulsa e aversão pelas baratas, principalmente, pela imagem que é ligada a sujeira. A direta associação que se faz mentalmente entre barata, lixo, esgoto, ralo, detritos, imundice é enorme e tem correlação com mal-estar, medo e desejo de afastamento imediato. Ter repulsa por baratas nos protege de contatos e contaminações, mas tudo dentro de um limite. Aquilo que extravasa o bem-estar, que impede a capacidade de escolha, que dificulta nossa tomada de decisão e nos tira nossa serenidade não pode permanecer assim.

Muito mais que nojo, algumas pessoas desenvolvem reação característica de medo. O pavor é tão grande que é possível perceber reação mental e corporal ao interagir com uma barata. E com isso, a reação é clara, vem a resposta imediata: pensamento confuso e acelerado, ansiedade, agitação mental, coração acelerado, mal-estar geral e o comportamento de fuga. Essas respostas são inconscientemente ativadas e a pessoa sofre profundamente ao ver uma barata.

Além das associações acima descritas, temos outros terríveis pontos associados dentro da nossa mente:

  • A velocidade que as baratas andam (ou algumas até mesmo voam) é também acelerada, o que dá uma ideia, e de fato, muitas vezes, é mesmo real a dificuldade de interação com esse inseto. Não há certeza que seremos capazes de alcançá-la para "eliminar" esse mal
  • Além do tamanho, mesmo que possa variar de pequena, para média ou grande, elas são sempre pequenas quando comparamos com o tamanho dos ambientes e há uma enorme dificuldade para poder achar uma barata escondida atrás de móveis e objetos.

Medo de barata também vem do exemplo

Muito além dessas associações, ainda podemos pensar que boa parte do medo de barata vem do espelhamento de comportamentos aprendidos que podem ter ligação com pais e/ou familiares. Temos atitudes "grupais": se muitos agem de um modo, nosso cérebro entende que devemos agir igual também.

Não é culpa dos pais, jamais, ninguém ensina o medo a outro ou "transmite" esse problema de forma consciente, porém, crianças "imitam" e seguem muito que vem em casa como atitudes e ações especificas. Então, se sabe que é possível "copiar" atitudes de medo no confronto com as baratas justamente por ter vivido intensamente e por repetição de ação.

Isso tudo acontece de forma inconsciente, por isso, nem sempre o medo é lógico, racional ou mesmo tem sentido de existir. É importante lembrar que tudo aquilo que se aprendeu vivendo com insistência de comportamentos repetitivos dos pais pode influenciar nossas escolhas, mas jamais determiná-las. Somos frutos do que vivemos e vimos acontecer muitas e muitas vez, com isso, a repetição ajuda na memorização de um conteúdo, inclusive, nas atitudes relacionadas ao medo.

Como tratar o medo de baratas?

É claro que devemos lembrar que existe nosso consciente para poder nos ajudar, questionar e mudar nossas ações. Mas as crenças, as ideias já arraigadas, às vezes, são mais facilmente alteradas quando temos ajuda externa para não nos perder nas "armadilhas" da mente.

A cura pode acontecer através de tratamento específico para superar o medo. Mesmo havendo diferentes tipos de medo, intensidade ou mal-estar em relação a barata, vale lembrar, não só que se existe a cura definitiva, mas também existem muitas formas de tratamento.

Receber ajuda na superação de um trauma ou fortalecimento emocional para o bem-estar e leveza pessoal pode ser feito através de sessões de psicoterapia. Técnicas como coaching de vida, novo código da PNL, hipnose ericksoniana são excelentes para atender o propósito que se deseja. Sucesso na cura e equilíbrio emocional, que você encontre aquilo que você busca e até breve!