Especialistas tiram 13 dúvidas sobre sexo anal

Veja os principais cuidados para praticar o sexo anal com segurança

POR BEATRIZ CAETANO - ATUALIZADO EM 09/10/2017

Sexo anal causa hemorroidas? É normal sangrar? Qual o risco de contrair o vírus HIV? Qual a melhor posição Essas são algumas questões estão entre as maiores dúvidas de quem já pratica ou pensa em praticar a relação anal.

PUBLICIDADE

Existem cuidados que podem ajudar você na hora de praticar o sexo anal. Para ajudar, nossos especialistas responderam as principais dúvidas dos leitores sobre o tema. Confira:

1. Sexo anal pode causar hemorroidas?

"Inicialmente é preciso entender que hemorroidas são coxins vasculares que fazem parte da anatomia do ânus. Porém, na maior parte das pessoas esses vasos sanguíneos não geram sintomas. O principal fator de risco para que as hemorroidas desenvolvam-se a ponto de gerar sinais e sintomas é a hereditariedade. Portanto, naqueles indivíduos predispostos geneticamente, outros fatores contribuintes podem facilitar o crescimento, o aparecimento de sintomas e complicações das hemorroidas.


Quanto ao sexo anal "causar" hemorroidas, há ainda algumas controvérsias. Em minha opinião, não havendo o fator hereditariedade e uma somatória de outros fatores de risco, o sexo anal não fará com que haja o crescimento ou surgimento de novas hemorroidas. Porém, naqueles pacientes que já as possuem de forma mais evidente, as complicações podem sim surgir devido a prática de sexo anal, e a complicação mais frequente chama-se trombose hemorroidária (inflamação e formação de coágulos obstruindo as hemorroidas). Pode também haver "inchaço", hemorragia e "irritação" da mucosa local", comentou o coloproctologista João Ricardo Duda.

2. Tive uma relação anal com uma mulher que é portadora do vírus HIV só que no final o preservativo estourou, o risco de contaminação é grande?

"O risco é bastante baixo, mais baixo ainda caso a parceira sexual estivesse fazendo uso de terapia antirretroviral. Sugiro realizar um teste de HIV agora, um em 3 meses e outro em 6 meses", disse o Dr. João Ricardo Duda.

3. Além dos riscos de contagio de DSTs, o que implica no sexo anal sem preservativo?

"A prática corriqueira de sexo anal pode incorrer em incontinência leve, normalmente só para gases, a longo prazo. Traumatismos na região são mais frequentes. Pode haver infecção urinária no homem e na mulher", contou o Dr. João Ricardo Duda.

4. Quais os riscos e benefícios do sexo anal?

"O ânus é um orifício despreparado para o ato sexual. Contem abundância de pelos, possui um esfíncter (músculo) para contenção das fezes e não possui glândulas com a função de lubrificação para penetração. Por estes motivos, o risco aumentado de lesão do canal anal e do pênis durante um intercurso anal aumenta muito o risco de contração de uma DST, incluindo o HIV", disse o urologista Luiz Augusto Westin.

5. Relação sexual anal pode prejudicar a saúde ou pode ser feita como vaginal?

"A prática corriqueira de sexo anal pode incorrer em incontinência leve, normalmente só para gases, a longo prazo. Traumatismos na região são mais frequentes. A probabilidade de se adquirir uma doença sexualmente transmissível sem preservativo é maior do que no sexo vaginal. Havendo penetração vaginal logo após a penetração anal sem higiene, há maior incidência de infecção vaginal e urinária", revelou o Dr. João Ricardo Duda.

6. Qual o lubrificante mais indicado para usar quando fazermos sexo anal?

"São indicados lubrificantes a base de água", o Dr. João Ricardo Duda.

7. Qual a melhor posição para sexo anal, sem dor ou desconforto para a mulher?

"As melhores posições são com a mulher "de quatro" ou deitada de lado com o homem atrás, também deitado de lado. Porém, mais importante do que isso é estar com o corpo e o ânus bastante relaxados, usar muito lubrificante, e se comunicar bastante com o parceiro. Você deve conduzir o ritmo e a pressão colocada, prestando muita atenção se não está havendo dor", afirmou o coloproctologista João Ricardo Duda.

8. Sexo anal pode ser prejudicial à mulher?

"Normalmente não. Pode haver traumatismos na região, redução do tônus muscular do esfíncter anal e como todas as formas de relação sexual, há riscos das Doenças Sexualmente Transmissíveis. Não é aconselhado haver penetração vaginal logo a seguir a penetração anal sem que antes o pênis seja lavado com água e sabão, a fim de evitar vaginites e infecções urinárias", disse o Dr. João Ricardo Duda.

9. Tenho hemorroidas posso fazer sexo anal?

"Sim, pode. Caso haja desconforto, edema, prolapso, dor ou sangramento, sugere-se que procure um coloproctologista para estabelecer tratamento", comentou o Dr. João Ricardo Duda.

10. Quando uma pessoa faz sexo anal e acaba saindo restos de fezes, quais problemas podem dar?

"Pode haver infecção urinária naquele que penetra caso sem preservativo e infecção vaginal e urinária na mulher", contou o coloproctologista João Ricardo Duda.

11. Qual a melhor maneira de fazer lavagem anal antes do sexo?

"Pode usar produtos específicos para o estímulo evacuatório como o Phosfoenema, Fleet Enema e Minilax. Caso esteja habituado, pode-se fazer uma irrigação e limpeza com introdução de água via retal. É importante lembrar que estas medidas devam ser usadas com parcimônia, procurando lançar mão apenas para o ato sexual", revelou o Dr. João Ricardo Duda.

12. Fissura anal é uma DST?

"Não. As fissuras anais acometem pessoas que apresentam constipação intestinal. Acontece um ciclo vicioso: O paciente apresenta as fezes ressecadas e, devido a consistência endurecida das mesmas associada a uma hipertonia (contração excessiva) do esfíncter anal, ocorre a fissura. A dor causada pela fissura durante a evacuação piora a constipação e o ciclo se repete. O proctologista é o médico especialista que trata as fissuras anais", comentou o urologista Luiz Augusto Westin.

13. Quais os riscos do sexo anal feito mais de uma vez por semana?

"Nenhum, a não ser que a região anal esteja com lesões tipo fissuras ou hemorroidas, o que pode provocar dor e/ou sangramento. Por ser uma relação muito contaminante, pelo contato direto com as fezes, há de se ter uma boa higiene antes e depois das relações e se impõe o uso de preservativo, pelo risco maior de DSTs", disse a ginecologista Ilná Escossia da Rocha Pitta.