Próteses de silicone: saiba tamanhos, tipos e tudo sobre o implante

Entenda melhor de que materiais elas são feitas, se podem vazar e outros detalhes do silicone

ARTIGO DE ESPECIALISTA

Dr. André Eyler
Cirurgia Plástica - CRM 667862/RJ
especialista minha vida

As próteses de silicone são implantes colocados nos seios, nádegas ou outras regiões do corpo para um aumento do volume na região. No caso do silicone nos seios, esses implantes podem ter finalidade terapêutica (reconstrução mamária) ou estética (aumento do volume das mamas), utilizado com o propósito de corrigir imperfeições (assimetrias), melhorar o contorno e proporções do corpo.

PUBLICIDADE

É o principal material utilizado na cirurgia plástica da mamoplastia, que tem por objetivo transformar e modificar o formato das mamas, visando torná-lo mais harmonioso e proporcional ao restante do corpo. A designação varia de acordo com o tipo de mamoplastia que será indicada e realizada, ou seja, mamoplastia redutora, mastopexia, lifting ou elevação da mama, mamoplastia de aumento, reconstrução mamária (oncológica) e a mastoplastia (assimetria). A inclusão de implante mamário é feito por uma incisão que pode ser no sulco mamário, aureola ou axila.

Tipos de próteses de silicone

Os formatos disponíveis das próteses de silicone são escolhidos dependendo do resultado desejado pela paciente: discreto, natural ou mais atraente. É possível aumentar, reduzir, levantar e dar nova forma às mamas, com opções disponíveis para ganhar um contorno mais sedutor na medida certa.


Próteses arredondadas As próteses de silicone semiesféricas são as melhores. São as próteses arredondas. Permitem um melhor contorno da mama. Normalmente é melhor a implantação da prótese de silicone subglandular e pelo sulco mamário. E caso a paciente deseje reduzir a mama necessita de uma mamoplastia ou mastoplastia e sem prótese.

Próteses anatômicas (em gota) Tem um formato de gota e são indicadas para aquelas pacientes que querem um aumento de forma e contorno proporcional.

O cirurgião deve avaliar qual tamanho seria o ideal para cada caso. É solicitado junto ao fabricante três ou quatro tamanhos próximos ao pretendido. As próteses podem variar de 150 a 600 ml. No momento da cirurgia o médico experimenta cada tamanho com os moldes idênticos das próteses, para avaliar o tamanho ideal.

Materiais das próteses de silicone

Gel ou silicone Os implantes de gel/silicone são mais lisos e macios, em comparação aos de prótese salina. Os de silicone se assemelham a um gel semi-sólido. Um problema desse tipo de prótese é que caso elas vazem, em alguns casos não há sintomas óbvios e por esta razão é que os médicos recomendam que mulheres passem por um acompanhamento três anos após a cirurgia, para monitorar qualquer ruptura.

Na maioria dos casos, os implantes de silicone nas extremidades e superfície anterior do implante, não são palpáveis, sendo, portanto, muito difícil de sentir através do tato que um implante está presente. Em muitos casos é difícil até mesmo detectar sua presença. Isto torna os implantes com gel uma opção mais atrativa para as mulheres, já que as próteses salinas são facilmente detectadas pelo toque ou sensação corporal.

Próteses salinas Essas próteses se aproximam mais a balões de água, e são preenchidas após a colocação exigindo uma incisão menor do que próteses pré-preenchidas de silicone. Outro benefício é que muitos implantes de prótese salina podem ser ajustados após a cirurgia. Se houver ruptura de uma prótese salina, o efeito será notado com o seio visivelmente menor.

Como escolher o tamanho da prótese de silicone?

As próteses de silicone podem variar de 150 ml a 600 ml de volume. Na hora da escolha, o cirurgião leva em consideração a estrutura corporal, biótipo, altura, distância entre tronco e quadril, proporção do tórax, estrutura óssea e formação original da mama. Desta forma, será escolhido o volume adequado.

Como a prótese de silicone é colocada

A inclusão de implante mamário é feita por uma incisão que pode ser no embaixo da mama, aureola ou axila, inserido abaixo da glândula ou do músculo.

A indicação de colocação da prótese na frente ou atrás do músculo peitoral varia de acordo com o tipo de mama da paciente. Se a mulher possui pouca glândula, comumente se põe atrás do músculo para que o implante não fique muito aparente. Quando a paciente tem uma quantidade de glândula para cobrir satisfatoriamente o implante, coloca-se na frente do músculo. É importante uma anamnese na consulta, que é a investigação sobre a saúde do paciente, o histórico familiar de doenças, entre outros.

É preciso trocar a prótese de silicone?

O implante de silicone não tem prazo de validade, mas atualmente existe um prazo de vida útil, ou seja, cada empresa através de estudos clínicos determina o tempo de duração do implante, geralmente está em torno de 12 anos. Através de avaliações periódicas, o cirurgião deverá determinar a necessidade ou não de troca do implante.

Dúvidas frequentes

O implante de silicone costuma ficar natural?

O objetivo é que fique o mais natural possível. Ao adotar a técnica adequada, o resultado é satisfatório por tempo indeterminado.

Como fica a sensibilidade dos seios após a colocação do silicone?

Pode ocorrer diminuição ou até aumento da sensibilidade das aréolas, mas apenas nos seis primeiros meses. Mas depois volta ao normal.

É possível o corpo rejeitar a prótese?

A contratura capsular é uma espécie de rejeição ao implante. Isto é, o organismo reage formando uma cápsula ao redor do implante, mecanismo normal de defesa do corpo. Esse processo de contratura capsular causa dor, endurecimento e deformação da mama. Porém, os implantes são cada vez mais resistentes e com menor chance de complicação. Logo, os pós-operatórios também se tornaram mais simplificados.

Também existem riscos de hematomas, infecção, deiscência de sutura, perda de sensibilidade, edemas prolongados e demais complicações oriundas de qualquer cirurgia. É preciso seguir todas as orientações médicas para evitar complicações, além do mais qualquer problema ou anomalia é preciso procurar imediatamente o médico.

Silicone é a melhor solução para a flacidez dos seios após a amamentação?

O desejo de que os seios fiquem iguais ao que eram antes de engravidar ou até maiores, é comum na maioria das mães. O médico deve analisar o tipo de pele, a tendência para ganhar peso e acumular gordura, o tipo físico e assim você pode escolher entre esperar uma próxima gravidez ou colocar a prótese depois da amamentação. Como as chances de os seios caírem existem mesmo com o silicone, melhor esperar ter o segundo filho, se for esse o caso. E para que a amamentação não seja prejudicada, o especialista deve colocar a prótese entre a pele e a musculatura. Se você tiver muita flacidez, o implante deve ser feito atrás da musculatura e, nesse processo, alguns dutos mamários podem ser cortados.

E para quem já tem as prósteses, durante a gestação e amamentação as próteses geralmente não sofrem nenhuma alteração, pois em todas as técnicas e planos de implantação, a prótese situa-se abaixo da glândula mamária não interferindo assim no desenvolvimento mamário, durante a gravidez e a amamentação. O silicone não interfere na quantidade e qualidade do leite materno, pois o volume de leite produzido depende da frequência da sucção realizada pela criança, bem como das mudanças hormonais ocorridas durante a gestação.

Próteses podem se romper?

Sim, mas os riscos são pequenos: para os implantes de gel de silicone coesivo, em caso de uma possível ruptura da membrana, não ocorre vazamento, pois o gel possui uma alta coesividade impedindo que o silicone se espalhe pelo corpo. No caso de implantes preenchidos com solução salina, esta solução tem pH fisiológico compatível e, portanto é reabsorvida e eliminada pelo organismo.