Crioterapia: conheça os prós e contras da técnica que elimina manchas e flacidez

O tratamento é feito com baixas temperaturas e tem indicações estéticas e terapêuticas

O que é crioterapia

A crioterapia é o tratamento que usa baixas temperaturas para tratamentos estéticos e terapêuticos na pele. Para isso, podem ser usados jatos em spray ou com sondas previamente resfriadas. A palavra derivada da palavra grega kryos, que significa frio. Nesse tratamento pode ser usado gelo seco ou nitrogênio liquido em contato com a pele, chegando a temperaturas de 196 graus Celsius negativos. Também contam como crioterapias mais leves cremes, géis e sprays que levem cânfora ou mentol em sua composição, causando um resfriamento onde são aplicados.

PUBLICIDADE

Outros nomes

Neve carbônica

Indicações da crioterapia

A crioterapia pode ser usada em tratamentos estéticos, tanto melhorando a tonicidade da pele e reduzindo gordura localizada e a celulite, quanto em tratamentos de manchas escuras e claras da pele. Seja com os produtos a base de mentol e cânfora, seja com a criolipólise, tratamento estético desenvolvido pela Universidade de Harvard, que congela a gordura.


Existe também o criopeeling, feito com o nitrogênio líquido ou o gelo seco, em uma aplicação rápida e extensa de spray de nitrogênio líquido em uma área extensa, favorecendo a renovação da camada superficial da pele.

A crioterapia também tem indicações terapêuticas. Em alguns casos de vitiligo, ela pode repigmentar algumas regiões do corpo, assim como ajudar no nascimento de pelos na alopecia areata. Ele também pode ser usado para tratar verrugas, tumores benignos da pele, alguns tipos de cânceres de pele, lesões pré-cancerosas, lesões infecciosas localizadas (como leishmaniose, cromomicose) lesões de acne inflamatória, molusco contagioso, granuloma anular, condiloma acuminado, e muitas outras doenças.

Já os cremes com cânfora e mentol podem ser usados na fisioterapia para controlar a inflamação ou edema, reduzir a dor e diminuir o espasmo muscular

Como é feita a crioterapia

Como crioterapia é um tratamento muito abrangente, ela pode ser feita de diversas formas. Na estética, ela pode ser aplicada com cremes e géis feitos com cânfora e mentol, ou bandagens frias na pele.

Já dermatologistas podem usar a crioterapia envolvendo nitrogênio líquido e gelo seco. Nesses casos pode ser feito o criopeeling, com aplicação de nitrogênio líquido ou o gelo seco no rosto para promover a renovação da camada superficial da pele.

Já nos tratamentos terapêuticos, o tratamento é feito em áreas específicas e depende da lesão encontrada. Lesões malignas precisam de um congelamento mais profundo, durando de um a dois minutos, enquanto lesões benignas podem ser submetidas ao tratamento por alguns segundos apenas. Mas, por ser um procedimento não cirúrgico, não é possível enviar material para análise laboratorial e definir com exatidão se houve cura da lesão. Por isso, a crioterapia terapêutica está mais indicada para tumores menos agressivos.

Sessões

A crioterapia estética mais simples, que envolve cremes e bandagens, pode ser feita de duas a três vezes por semana, em um total de 10 sessões. Cada sessão dura cerca de 30 minutos e é importante depois do tratamento continuar em avaliação, caso seja necessária a manutenção dos resultados obtidos.

Já a crioterapia com nitrogênio líquido ou gelo seco depende muito da finalidade, e a quantidade de sessões e seus intervalos precisam ser analisados por um dermatologista experiente.

Profissionais que podem fazer

O ideal é que a crioterapia com nitrogênio líquido e gelo seco seja feita por um dermatologista experiente, porque o resultado depende muito de como é feita a aplicação e isso varia muito conforme o tipo de lesão, local da pele, cor da pele e outros fatores que requerem muita capacitação.

Já a crioterapia mais simples, com bandagens e cremes com cânfora e mentol, pode ser feita por esteticistas e fisioterapeutas.

Cuidados antes da crioterapia

O tratamento feito pelo profissional de estética inicia geralmente com a higienização do local em que serão aplicadas as bandagens frias. Não há necessidade de mais nenhum cuidado específico.

Já no tratamento puramente dermatológico, a pele não deve estar com infecções bacterianas, que podem se agravar, e deve ser evitado o tratamento em pessoas com alterações na coagulação, pois pode haver sangramento intenso.

Cuidados após a crioterapia

Após a crioterapia feita pelo profissional de estética, é recomentado deixar os efeitos do produto aplicado atuarem por, pelo menos, duas horas. Por esse motivo, neste intervalo de tempo, não deverá tomar banho. Também precisa evitar praticar atividade física durante esse período de duas horas, para que possa potencializar o resultado do tratamento.

Já no tratamento com gelo seco ou nitrogênio líquido, é importante a boa higiene da ferida que se forma através da lavagem com água e sabonete, aplicação de cremes cicatrizantes, antibióticos (dependendo do paciente e local da lesão), e proteção solar. Qualquer área inflamada que receber a luz solar pode pigmentar e ficar escura.

Contraindicações

Pessoas com infecções na pele, feridas abertas e psoríase devem evitar o tratamento estético da crioterapia.

Já a crioterapia feita pelo dermatologista não é indicada para pessoas com doenças desencadeadas pelo frio, como o fenômeno de Raynaud?s, urticária ao frio, criofibrinogenemia, paniculite ao frio, crioglobulinemia e doenças das plaquetas. Distúrbios da coagulação podem ser impeditivos também. Infecção bacteriana próxima ao local da aplicação pode levar á piora do quadro infeccioso. Mas isso normalmente é avaliado pelo profissional que aplica esse tipo de tratamento.

Grávida pode fazer?

O ideal é que grávidas não se submetam a esse tratamento estético.

Possíveis complicações da crioterapia

Pode ocorrer infecção bacteriana, viral ou fúngica do local tratado, pigmentação pós-inflamatória, coloração esbranquiçada da pele. O congelamento destrói o pigmento (melanina) da pele, podendo deixar manchas brancas caso o tempo de congelamento tenha sido excessivo.

Antes e depois da crioterapia

O tratamento puramente estético resulta em melhora da celulite, do tônus da pele e redução de manchas.

Já no tratamento terapêutico de lesões, é um método muito útil como alternativa para pessoas que não podem fazer cirurgias, e tem uma taxa de cura de aproximadamente 90%.

Alie a crioterapia com...

Alimentação balanceada A alimentação também influencia na saúde da pele, e em sua aparência. Prefira gorduras insaturadas, provenientes de alimentos como azeite e peixes, e evite gorduras saturadas, como as presentes nos doces e frituras.

Parar de fumar Mulheres que fumam tendem a ter mais problemas após qualquer tipo de procedimento, inclusive a crioterapia com nitrogênio líquido e gelo seco. Além disso, o cigarro está associado ao envelhecimento, pois libera diversas substâncias nocivas que aumentam a formação de radicais livres, o que ocasiona maior e mais precoce formação de rugas.

Proteção solar diária Usar protetor com FPS acima de 30 ajuda a minimizar os efeitos da radiação solar na pele, que pode causar envelhecimento e manchas, além de câncer de pele!

Fontes
Dermatologista Natalia Cymrot (CRM-SP 84.332), mestre em dermatologia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Dermatologista Helena Costa (CRM-RJ 5281778-3), membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia