Endermologia: tratamento para a celulite

Tratamento estético usa vácuo e massagem para combater o aspecto de "casca de laranja"

O que é a endermologia?

A endermologia é uma massagem profunda obtida a partir da associação de vácuo (também chamado de pressão negativa), gerado por uma bomba, com manobras de massagem feitas com a técnica de "palpação e rolamento", propiciada por ventosas ou cabeçotes adequados. A técnica surgiu na França entre as décadas de 1970 e 1980, com aparelhos tecnicamente inferiores aos que existem hoje, e chegou ao Brasil há pelo menos 20 anos. Hoje existem vários modelos e marcas de aparelhos que fazem a endermologia.

PUBLICIDADE

Sinônimos para a endermologia

Endermoterapia e Vacuoterapia.

Como é feita a endermologia?

"O aparelho massageia o corpo por meio de sucção", explica a dermatologista Geana Lima, especialista em medicina estética. "Ele é composto por dois rolinhos que, ao deslizar sobre a pele, melhoram a circulação local e ajudam na eliminação de toxinas". É massageado todo o corpo - braços, pernas e barriga - sobre o trajeto dos vasos linfáticos, no sentido do gânglio linfático. Nas pernas, os movimentos são ascendentes: da perna até a fossa poplítea (parte posterior do joelho), da coxa até a virilha. Na barriga o movimento deve ser feito em direção à virilha e nos braços em direção às axilas.


Ação da endermologia

A endermologia age ativando o sistema linfático, a partir da drenagem dos líquidos feita pelo aparelho, e estimulando os fibroblastos do tecido conjuntivo - que fica localizado na derme, a camada mais profunda da pele - a produzir colágeno, substância que ajuda a dar o aspecto de firmeza à pele. Há também atuação sobre o tecido adiposo: "a endermologia consegue quebrar algumas células de gordura em processo de envelhecimento", explica a dermatologista Ursula Metelmann, membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia. A endermologia faz ainda uma esfoliação que elimina as células mortas e devolve à pele o seu brilho natural.

Quem pode aplicar a endermologia

Geralmente a endermologia é aplicada por esteticista com formação técnica ou fisioterapeutas. Como este não é um tratamento estritamente médico, muitas vezes os pacientes não passam por consulta médica. No entanto, a dermatologista Ursula explica que o médico dermatologista pode determinar o grau de celulite e indicar o melhor tratamento para o caso com mais precisão.

Indicações da endermologia

"A principal indicação é o combate à celulite, mas ela também pode ser aliada em casos de gordura localizada, na remoção de cravos, na drenagem linfática, na atenuação de cicatrizes e rugas e em cuidados com a pele antes e depois de cirurgia plástica", explica a dermatologista Geana.

Preparação para a endermologia

Endermologia - foto: Getty Images
Endermologia

A pele deve estar limpa e deve ser evitada a depilação com cera, que pode machucar e sensibilizar a pele, pelo menos dois dias antes da sessão de endermologia. Para o procedimento, é indicado o uso de uma roupa específica, o fato corporal, que dá maior aderência do aparelho à pele e ajuda no seu deslizamento. Segundo a dermatologista Geana, pode também ser feita a aplicação de óleos de massagem para facilitar o deslizamento do aparelho.

Tempo de duração da endermologia

Cada sessão de endermologia, que trabalha o corpo todo, dura cerca de 35 minutos.

Número de sessões necessárias de endermologia

São necessárias em média seis sessões para que sejam vistos os resultados, mas há casos em que são necessárias até 10 sessões. Elas devem ser feitas cerca de duas vezes por semana: no mínimo uma vez por semana e no máximo a cada dois dias. Depois de conquistados os resultados, ela deve ser feita uma sessão por mês para manutenção e, em casos mais graves, de 15 em 15 dias.

Resultados da endermologia

Os resultados da endermologia podem ser definitivos, principalmente em graus mais leves. "Em graus mais avançados, como o grau 4, pode haver a necessidade de agregar outros tratamentos, como a subcisão - método cirúrgico que age sobre o tecido fibrótico da celulite", explica Ursula Metelmann. Mas, mesmo em casos mais amenos, caso persistam fatores como a hereditariedade, alimentação desequilibrada, tabagismo, sedentarismo, uso de pílulas anticoncepcionais e tratamentos de reposição hormonal, a eliminação definitiva da celulite pode se tornar mais difícil.

Complicações da endermologia

Geralmente, o procedimento não gera dor, no entanto, em casos em que a celulite é mais grave, pode não haver circulação local adequada, e, consequentemente, uma sensação dolorosa. Além disso, podem surguir hematomas, sausados pela massagem profunda. Nesse caso, deve ser evitada a exposição ao sol, que pode causar manchas.O problema regride espontâneamente.

Contraindicações da endermologia

Como a endermologia aumenta a circulação sanguínea, algumas doenças podem ser incompatíveis com o tratamento, como trombose, doenças infecciosas e progressivas, câncer, problemas de coração, infecções agudas ou inflamações, problemas respiratórios, problemas nos rins, hepatite, diabetes e problemas circulatórios. "Pacientes com cicatrizes inelásticas, infecção na área do tratamento ou que usem com marca-passo ou desfibrilador interno também são contraindicados", destaca o dermatologista Abdo Salomão. Também não se recomenda o tratamento a mulheres grávidas

Tratamentos associados à endermologia

Como a endermologia deve ser feita, pelo menos, em dias alternados, a drenagem linfática pode ser feita no intervalo, acelerando os resultados. A drenagem linfática ajudará a diminuir medidas e celulite, eliminando os líquidos retidos. A utilização de equipamentos de ultrassom, infravermelho e radiofrequência também pode estar associada com o objetivo de melhorar o contorno corporal.

Fontes

Dermatologista Geana Lima (CRM: 99005), dermatologista especializada em medicina estética
Dermatologista Ursula Metelmann (CRM: 92449), membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia
Dermatologista Abdo Salomão (CRM: 36939), membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia