Borra de café para a pele? Veja se funciona mesmo

Especialista esclarece se o uso dessa receita caseira é mesmo eficaz contra celulites e outros problemas

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 31/10/2017

Dra. Bhertha Tamura
Dermatologia - CRM 67946/SP
especialista minha vida

Muito tem sido dito sobre os usos da borra de café na pele. No entanto, as indicações descritas na internet usando esse remédio caseiro não tem fundamento científico nenhum. Muitos dos sites são de leigos para leigos.

PUBLICIDADE

Entre essas indicações sem fundamento, encontramos seu uso para:

A utilização desse método não tem justificativa cientifica, exceto para a utilização da borra como um material inerte para a esfoliação da pele, que pode ser obtida através de farelo de aveia, açúcar cristal e outros esfoliantes industriais.

Dentro dos arsenais terapêuticos na dermatologia, existem métodos específicos de esfoliação e peelings para ajudar, junto com outras técnicas o processo de recuperação da pele, mas tais esfoliações tem as substâncias ou aparelhos certos, com estudos comprobatórios. São métodos coadjuvantes a outras técnicas para apresentar efetivamente algum resultado.

Mas o café é ingrediente de cosméticos?

Existe uma substância chamada "Coffee Berry" que possui propriedades antioxidantes leves descritas em alguns trabalhos científicos e portanto, é utilizada em alguns produtos dermocosméticos. Ela deriva da fruta do café "in natura" e não no café já torrado e coado, é um composto extraído antes de maturação completa do grão de café, quando ele apresenta maior concentração de polifenóis (substâncias antioxidantes). Baseando-se nisso, alguns leigos acreditam que ele tenha efeitos benéficos para o tratamento facial ou de estrias, mas absolutamente não tem fundamento.

Benefícios e usos reais da cafeína na pele

A cafeína e utilizada há muitos anos como composição nas formulações de cremes para amenizar a celulite. Até a modernidade existem dúvidas quanto a sua real eficácia no tratamento de qualquer afecção da pele, embora haja relatos de efeitos protetores contra o câncer da pele, mas de forma anedótica. Alguns trabalhos descrevem uma mínima ação e outros nenhuma ação. O maior impasse se encontra na capacidade da cafeína pura penetrar a pele para que possamos usufruir de seus benefícios.

Há trabalhos científicos relatando a sua capacidade de modular parte do DNA propondo uma provável ação sinérgica com os protetores solares, mas ainda há necessidade de mais estudos para que se possa afirmar que esta substância, uma vez conseguindo atravessar a pele, realmente apresente ação benéfica. Portanto, se alguém imagina que pode haver qualquer resquício de cafeína na borra de café, terá que amadurecer o conhecimento científico antes de publicar tratamentos nesse sentido.

A cafeína ou qualquer substância química precisa ser quimicamente tratada para que possa atravessar a pele, e algumas nunca irão atravessá-lo. Faltam trabalhos sérios e confiáveis para validar os benefícios que têm sido propagados na mídia. As misturas caseiras podem causar alergias, reações com o sol e não trazer benefícios.