Graus de acne: entenda os diferentes tipos de tratamento

Veja as características de cada quadro e as opções para trata-lo

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 21/06/2017

Dra. Bhertha Tamura
Dermatologia - CRM 67946/SP
especialista minha vida

A acne, também chamada comumente de espinha, do ponto de vista médico é classificada em quatro graus para que se possa entender a gravidade do quadro e fazer as melhores escolhas de tratamento. Então quando um dermatologista recebe um paciente com acne, ele imediatamente já está classificando o tipo clinico. Para entendermos um pouco mais sobre isso, vamos discutir de forma simples e mais claramente como é o quadro clínico da acne em cada grau:

PUBLICIDADE

Acne grau 1

No grau 1 o paciente apresenta sinais leves de acne. Basicamente, a pele em geral é mais oleosa e apresenta os ?cravos? ou comedões que podem estar abertos ou fechados. Alguns comedões podem evoluir para inflamação e os que estão abertos podem apresentar um ponto preto no orifício que representa os detritos da pele e da glândula de gordura que podem sofrer influência das bactérias locais.

Tratamento da acne grau 1

Nessa fase, o dermatologista poderá optar por sabonetes, esfoliantes específicos e se a quantidade dos cravos for muito grande, cremes que em geral são compostos por ácidos leves a moderadamente fortes.


Os componentes dos sabonetes e esfoliantes podem ser o ácido salicílico, enxofre, peróxido de benzoíla outros. E os cremes prescritos nessa fase podem ser constituídos por ácido salicílico, peróxido de benzoíla, ácido apelativo, glicólico ou derivados dos retinaldeídos.

Muitas vezes podem ser indicados também:

  • Limpeza de pele
  • Peeling (sessões de aplicação de ácido mais forte pelo dermatologista)
  • Abrasão suave da pele com aparelhos simples, que limpam os comedões ou as próprias espinhas inflamadas.

Acne grau 2

Na acne grau 2, além das lesões (feridas, no caso os comedões) descritas no grau 1, há presença de pápulas (feridas pequenas) inflamadas, avermelhadas, algumas com a presença de pus.

Tratamentos para acne grau 2

Os sabonetes e esfoliantes ainda fazem parte do tratamento, mas os cremes já precisam ser mais fortes, algumas vezes compostos por antibióticos. Nessa fase, se o médico considerar importante, poderá ser prescrito medicamento consumido por boca. Esses medicamentos podem ser antibióticos específicos ou pode-se considerar a prescrição de isotretinoína, especialmente nos casos em que há formação de pequenas cicatrizes que são difíceis de serem tratados no futuro.

Os cremes agora possuem um percentual de ativos maior que o prescrito para acne 1 e as substâncias ativas como os retinóides já são indicados e podem ser associados à antibióticos como a eritromicina ou a clindomicina mais frequentemente. Os antibióticos via oral podem ser a tetraciclina e seus derivados e a azitromicina em diferentes esquemas de tratamento.

O maior problema a partir da acne grau 2 são as cicatrizes e alterações de cor da pele decorrente do processo inflamatório. Muitos dermatologistas consideram a isotretinoína a primeira indicação para o tratamento evitando essas sequelas que são difíceis de se tratar.

Acne grau 3

O grau 3 possui em geral as características do grau 2 com relação às lesões que a pele apresenta, só que ela atinge uma área um pouco maior.

Tratamentos para acne grau 3

Além das opções terapêuticas descritas no grau 2, os antibióticos são prescritos com maior frequência, considerando também a possibilidade do uso de anticoncepcional específico para as meninas, se o quadro estiver também relacionado com o ciclo menstrual (distúrbios hormonais).

Esse já é um estágio em que se considera muitas vezes a isotretinoína como uma das primeiras indicações. Esse medicamento possui alguns efeitos colaterais, sendo o mais grave o efeito teratogênico, ou seja, causar deformidades muito sérias no feto, como por exemplo, ausência ou alterações nos membros entre outros. Portanto, quando prescrito para meninas, deve-se ter certeza de que ela estará utilizando pelo menos dois métodos anticoncepcionais durante o tratamento, com o envolvimento diário dos pais.

É um medicamento que não se "empresta" a ninguém pelos efeitos colaterais sérios. Boca seca, lábios descamando, mucosas secas ocorrem em cem porcento dos pacientes com o seu uso, além de outros efeitos que devem ser entendidos antes do seu uso. Não se deve utilizar a isotretinoína com outros medicamentos, especialmente a tetraciclina e seus derivados.

Os tratamentos devem ser apresentados e discutidos com o paciente porque a maioria somente controla a acne e se não houver controle contínuo com o dermatologista os resultados podem ser decepcionantes.

Acne grau 4

Na acne grau 4 há basicamente cistos e alguns deles confluentes formando o que se chama "conglobata". A junção desses ?cistos? ou coleções de pus são dolorosos e fatalmente resultam em cicatrizes inestéticas.

Tratamento da acne grau 4

Esse estágio responde mal a maioria dos tratamentos e a isotretinoína se torna o medicamento de eleição, salvo contraindicações específicas que serão detectados pelo dermatologista. Esse é um quadro mais grave que pode cursar com dor e até mesmo febre. Em alguns momentos há necessidade de intervenção cirúrgica para o esvaziamento das secreções.

Há tratamentos auxiliares, como por exemplo, a terapia fotodinâmica, LEDs, luz intensa e outros no arsenal de tratamento das ações grau 2,3 e 4 a depender do critério médico.