Castanha da Índia: descubra se ela realmente emagrece

Saiba mais sobre seus benefícios dessa oleaginosa para a saúde

A castanha da Índia é uma semente da árvore castanheiro-da-Índia, que na verdade é encontrada no sudeste da Europa na região dos Balcãs (o que incluí países como Albânia, Bósnia, Bulgária e Grécia, entre outros).

PUBLICIDADE

Ela é muito usada para problemas circulatórios e doenças ligadas a uma má circulação do sangue, no entanto, não deve ser consumida in natura, devido a alguns compostos tóxicos.

Castanha da Índia emagrece?

Não existem estudos sobre o potencial de emagrecimento da castanha da Índia. Ela tem propriedades importantes para o emagrecer comuns a outras oleaginosas, como o potencial de aumentar a saciedade, devido a sua quantidade de fibras e proteínas. Além disso, ela tem ação laxante, diurética e de melhorar o metabolismo, mas nas mesmas proporções que outras oleaginosas


Os benefícios da castanha da Índia para a circulação sanguínea, já comprovado em estudos, podem torna-la benéfica para emagrecer, mas não se sabe ainda ao certo como. Além disso, a variação de quilos perdidos por pessoas que a usaram faz com que se questione se outros hábitos adotados não são mais responsáveis pela perda de peso do que outros.

Castanha da Índia x Noz da Índia

Muitas pessoas confundem a castanha da Índia com a noz da Índia, até pelo nome semelhante. Mas elas são oleaginosas completamente diferentes em aparência e benefícios.

A noz da Índia é originária da árvore Nogueira-de-Iguape, original da Indonésia. Ela é uma sementinha pequena e branca, enquanto a castanha da Índia lembra uma mamona por fora, mas dentro contém uma castanha marrom.

Quanto aos benefícios, ambas têm fama de emagrecer e nenhuma tem essa propriedade comprovada. No entanto, a castanha da Índia tem estudos que comprovam sua eficácia em melhorar o sistema circulatório, enquanto a noz da Índia só tem suas propriedades laxativas embasadas cientificamente.

Benefícios comprovados da castanha da Índia

Problemas circulatórios Até o momento estudos científicos só tem demonstrado o uso da castanha da Índia problemas circulatórios, como a insuficiência venosa. Isso ocorre porque ela melhora o tônus das paredes dos vasos sanguíneos, o que favorece o retorno do sangue para o coração, principalmente nos membros inferiores, em que a gravidade dificulta a subida do sangue de volta ao peito, e também impede a fragilidade dos capilares, estruturas mais finas do que as veias e artérias. Isso ainda previne que acidentes vasculares aconteçam.

Benefícios em estudo

Celulite Como a castanha da Índia traz benefícios para a circulação, ela pode colaborar para a melhora da celulite, um problema causado também por problemas na microcirculação na pele. Portanto, pessoas que usam a castanha da Índia sentem esse efeito, mas ainda não há estudos específicos sobre sua ação na celulite.

Hemorroidas A castanha da Índia tem propriedades anti-inflamatórias comprovadas, e ao que tudo indica, isso ajudaria a tratar hemorroidas, mas esse uso da castanha ainda não foi comprovado. O ideal é conversar com um proctologista antes de usá-la, procurando outros tratamentos.

Hemorroidas A castanha da Índia tem propriedades anti-inflamatórias comprovadas, e ao que tudo indica, isso ajudaria a tratar hemorroidas, mas esse uso da castanha ainda não foi comprovado. O ideal é conversar com um proctologista antes de usá-la, procurando outros tratamentos.

Tratamento de lesões esportivas As propriedades anti-inflamatórias da castanha da Índia também estão sendo estudadas no tratamento de lesões esportivas, como contusões, tendinites, hematomas e distensões musculares.

Principais nutrientes da castanha da Índia

A castanha da Índia é rica em gorduras, principalmente as mono e poli-insaturadas, que são mais benéficas para a saúde, algo comum a outras oleaginosas. Essas gorduras são capazes de reduzir o colesterol LDL, que propicia um maior risco de entupimento das artérias, e aumentam o colesterol HDL, que tem um efeito contrário.

Além disso, a castanha da Índia é rica em fibras, o que colabora para manutenção da saciedade. Outros nutrientes importantes dessa oleaginosa é como cálcio, magnésio, manganês, fósforo e ferro. No entanto, não existe uma tabela nutricional oficial da castanha da Índia.

Como consumir a castanha da Índia

A castanha da Índia não deve ser consumida em natura, por possuir alguns compostos que podem ser tóxicos. Mesmo as flores, folhas e tronco não devem ser consumidos sem um processamento prévio, que retira a esculina, sua substância mais tóxica.

Contraindicações da castanha da Índia

A castanha da Índia é contraindica nas seguintes situações:

  • Grávidas e lactantes: não se sabe se a castanha da Índia, mesmo que processada, é segura para o feto e o bebê
  • Pessoas com diabetes: a castanha da Índia pode reduzir a glicemia no sangue, por isso é preciso tomar cuidado quando se tem hipoglicemia
  • Pessoas com problemas renais: já que se suspeita que ela pode piorar esses quadros
  • Pessoas com problemas gastrointestinais: já que ela pode irritar o trato digestivo
  • Pessoas com problemas de fígado: existem reportes de problemas nesse órgão devido ao consumo de castanha da Índia
  • Pessoas que passaram por cirurgias: como ela mexe com a circulação e afina o sangue, pode causar sangramentos após cirurgias.

Além disso, é importante tomar cuidado ao oferecer esse alimento para crianças menores de 15 anos.

Quantidade recomendada

O ideal é consumir as seguintes quantidades de castanha da Índia:

  • Castanha da Índia em pó: 250 a 1000mg/dia junto as refeições

Extrato seco de castanha-da-índia: 100 a 400 mg/dia após as refeições.

Riscos do consumo em excesso

Em excesso, a castanha da Índia pode causar irritações na pele e no sistema digestivo, portanto o ideal é consumi-la apenas dentro da quantidade recomendada.

Onde encontrar

Hoje a castanha da Índia é vendida em lojas de produtos naturais, supermercados e zonas cerealistas.

Fontes consultadas

Nutróloga Marcela Voris (CRM-SP 130126), da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN)

Nutricionista Ricardo Zanuto, especialista em nutrição clínica e esportiva