Babosa possui ação hidratante e cicatrizante

Saiba como aproveitar os benefícios desta planta é aliada do cabelo e da pele

Saiba tudo sobre a babosa - Foto: Getty Images
Saiba tudo sobre a babosa

A babosa é o nome popular da Aloe Vera, uma planta também conhecida como Aloé Vera, Caraguatá, Erva babosa, Babosa de botica ou Babosa de jardim. O nome popular "babosa" se deve por sua característica gelatinosa (a baba). Encontram-se catalogadas mais de 200 espécies de Aloe. Originária do norte de África, a babosa é famosa por seus benefícios estéticos e fitoterápicos.

PUBLICIDADE

A babosa tem propriedades regeneradoras e funciona como um antioxidante natural. Vários estudos internacionais têm ampliado os conhecimentos científicos a respeito dos efeitos benéficos da babosa na saúde das pessoas. Entre eles ação anti-histamínica, anti-inflamatória e antioxidante. Ela pode também estimular a síntese de colágeno e é um vasoconstritor.

O gel da babosa tem resultados positivos para pesquisa clínica da psoríase e herpes simples. A cicatrização de ferimentos e de acne possui resultados misturados nas pesquisas clinicas e portanto não há comprovação científica isolada para estas entidades.


No Brasil, seu uso tem autorização somente em produtos cosméticos e em medicamentos fitoterápicos de uso tópico com a função cicatrizante. Por ser classificada na categoria de "novos alimentos", a aloe vera precisa de registro junto a Anvisa para ser comercializada nos alimentos.

Nutrientes

As folhas são a melhor fonte dos metabílitos ativos da aloe vera. O gel é rico em resina de aloe, ditranol, crisarobina, alantoína, salicilatos, flavonoides e polissacarídeo. Todos estes são os princípios ativos que tem propriedade terapêutica.

Entenda como a babosa ajuda na hidratação - Foto: Getty Images
Entenda como a babosa ajuda na hidratação

Nos últimos anos, centros de pesquisas e universidades de vários países têm estudado os segredos da babosa, identificando em seu gel (baba) componentes como: cálcio, magnésio, sódio, potássio, selênio e zinco; as vitaminas, A, B1, B2, B3, B5, B6 e C; mono e polissacarídeos incluindo Acemanana, que é imunoestimulante.

Benefícios em estudo da babosa

Ação hidratante: A seiva da babosa, encontrada em sua parte interna, tem poder acelerador e regenerativo das células da pele. Por isso, a planta é muito utilizada em cremes, loções e pomadas. Seus ativos potencializam a hidratação e a cicatrização.

Ação cicatrizante: O ingrediente ativo da babosa é a aloe vera, que tem reconhecidamente uma ação anti inflamatória, calmante e cicatrizante. Há produtos cosméticos e medicamentos fitoterápicos de uso tópico com a função cicatrizante. O ideal é que seja recomendado pelo médico. Cientificamente ainda não há a comprovação isolada da babosa como tendo ação cicatrizante.

Aliada do cabelo: A babosa é uma planta bastante conhecida por seus benefícios de hidratação para pele e cabelo, tanto que existe uma variedade enorme de produtos compostos a base de Aloe Vera, nome científico da planta babosa.

Babosa contribui para a melhor cicatrização - Foto: Getty Images
Babosa contribui para a melhor cicatrização

A babosa possui dezoito aminoácidos essenciais à formação de proteínas, além de vitaminas A, C, E, B1, B2, B3, B6, B12 e B13 e ainda conta com mais de vinte minerais, tudo isso faz com que seja conhecida como a planta da saúde e beleza, pois seus benefícios vão além da questão estética. Devido ao poder hidratante, a babosa melhora a maciez e maleabilidade do cabelo. Existem muitos produtos industrializados, como shampoos e cremes com babosa em sua composição.

Boa contra a herpes: A herpes é uma doença viral geralmente benigna, causada pelos vírus Herpes simplex 1 e 2, que afeta principalmente a mucosa da boca ou região genital, mas pode ter graves complicações neurológicas. Não tem cura, mas alguns remédios podem ser utilizados para diminuir os sintomas. Há referências científicas de que o gel da babosa é antiviral contra herpes simples e varicela zoster. Contudo, não é orientado aplicar a planta caso tenha a doença, isto porque se a babosa for aplicada diretamente na pele pode causar irritação, piorando a lesão, e sua casca pode ser nociva para a saúde. O ideal é consultar o médico dermatologista.

Como consumir

A babosa tem sido muito utilizada para uso tópico, em cremes, loções, pomadas, sabonetes, shampoos, já que seus ativos contribuem para potencializar a hidratação e a cicatrização. No Brasil, produtos à base de Aloe vera de uso tópico estão autorizados como fitoterápico para cicatrização. No entanto, não há registro de medicamento a base de Aloe vera para uso oral.

Em outros países, a aloe vera tem sido empregada como suplemento indicado e vendido para tratamento de obesidade. Pela Legislação Brasileira, somente cosméticos e medicamentos fitoterápicos podem ser fabricados industrialmente com esta planta. Alimentos como suco e isotônico vendidos em outros países não têm sua produção autorizada no Brasil.

Não são recomendadas receitas caseiras para o consumo da babosa, pois a casca externa da babosa apresenta substâncias tóxicas quem podem desencadear sérios problemas de intoxicação estomacal.

Cuidados ao adquirir

Não utilize a planta natural, adquira apenas produtos à base de aloe vera autorizados pela ANVISA. Alimentos e bebidas ou qualquer outra forma de ingerir a aloe vera não são autorizados pela ANVISA. O uso da babosa deve ser tópico e em casos de hidratação e/ ou cicatrização. Siga a recomendação específica do produto sobre a aplicação.

Efeitos colaterais da babosa

Há relatos de diarreia, disfunção dos rins e dermatites devido à ingestão da babosa. O uso tópico da planta pode causar alergias, irritação e edema local. O informe técnico da ANVISA indica que as substâncias antraceno e antraquinona presentes na aloe vera são mutagênicas, ou seja, podem causar mutação nas células humanas. Segundo o documento, a aloe vera apresenta produtos de biotransformação potencialmente tóxicos. Assim não possuem efeitos somente imediatos e facilmente correlacionados com sua ingestão, mas também efeitos que se instalam em longo prazo e de forma assintomática, podendo levar a um quadro clínico severo, algumas vezes fatal.

Riscos do consumo em excesso da babosa

A babosa contém substâncias que podem alterar o funcionamento do sistema digestivo, se consumida em excesso.

Fonte consultada

Tatiana Steiner, dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia