Taurina é aliada dos músculos e boa para o coração

Aminoácido também melhora a imunidade, tem ação diurética e previne o diabetes

Esclareça suas dúvidas sobre a taurina - Foto: Getty Images
Esclareça suas dúvidas sobre a taurina

A taurina é um dos aminoácidos não essenciais. Ela apoia o desenvolvimento neurológico e ajuda a regular o nível de água e sais minerais do sangue. Ela contribui no desenvolvimento do sistema nervoso, desintoxica o organismo facilitando a excreção de substâncias pelo fígado que não são mais importantes ao corpo. Fortalece e aumenta a força das contrações cardíacas e protege as células do coração. Tem ação antioxidante, combatendo os radicais livres que danificam as membranas celulares. É um estabilizador da membrana e modulador da homeostasia do cálcio. Tem clara relação com o desenvolvimento pré-natal e pós-natal dos sistemas nervoso e visual.

PUBLICIDADE

Embora a taurina seja um produto final do metabolismo dos aminoácidos sulfurados, essa substância é também comumente obtida a partir da dieta. A taurina está presente na maioria dos alimentos de origem animal. Por outro lado a substancia está ausente ou presente em níveis mais baixos na maioria dos alimentos de origem vegetal. Bebidas enriquecidas com taurina são populares há décadas no Japão.

Benefícios da taurina

Aliada dos músculos: A L-Taurina desempenha um papel importante na produção de óxido nítrico, um gás natural no corpo humano, que aumenta o fluxo sanguíneo para o músculo esquelético. Como resultado se produz o aumento do fluxo sanguíneo. Um maior fluxo sanguíneo significa mais oxigênio e mais nutrientes para os músculos. A taurina ainda acelera a recuperação e reduz o cansaço muscular.


Previne o diabetes: A taurina é um aminoácido condicionalmente essencial para o ser humano, se concentra nas células alfa do pâncreas. Ela melhora o funcionamento do metabolismo de glicose e aminoácidos. Estudos revelam que de alguma forma, a taurina modula o controle parácrino, no qual um hormônio produzido por uma célula controla a atividade da célula vizinha, a insulina, favorecendo maior ou menor secreção do hormônio dependendo do caso. Desta forma ajuda a prevenir o diabetes.

Boa para o coração: Em alguns casos, o médico receita o uso de suplementos de taurina que podem auxiliar na redução dos níveis de homocisteína, um aminoácido que pode aumentar o risco de doença do coração, quando detectados em níveis elevados. Além disso, a taurina estabiliza os níveis de colesterol no sangue.

Ação diurética: A taurina também conta com uma ação diurética.

A taurina é boa para a imunidade - Foto: Getty Images
A taurina é boa para a imunidade

Boa para a imunidade: A taurina é benéfica para o sistema imunológico. Isto porque as pesquisas demonstraram que a taurina, no sistema imunológico, modula a ação de células T e reduz a presença de neutrófilos no processo inflamatório. Outras pesquisas apontam que a taurina pode ter um efeito antioxidante.

Benefícios em estudo da taurina

Pode ajudar no tratamento da doença de Alzheimer: Pesquisadores revelam que os níveis de taurina caem com a idade, em indivíduos saudáveis, mas também naqueles que sofrem com a doença de Alzheimer. Uma futura aplicação terapêutica da taurina depende dos resultados positivos destes testes e ainda não se pode afirmar efetivamente que a taurina representa a cura neste tipo de tratamento.

Quantidade recomendada de taurina

A quantidade a ser ingerida de taurina vai depender do objetivo e deve-se buscar a orientação do médico ou nutricionista antes de ingerir os suplementos de taurina. A dosagem recomendada de taurina varia de 3 a 6 gramas por dia.

Alimentos ricos em taurina

Os principais alimentos ricos em taurina são aqueles que possuem boas quantidades de proteína como: peixes, frutos do mar como mariscos e ostras, aves como carne escura de frango e peru e carne bovina. Alguns alimentos de origem vegetal como beterraba, nozes e feijão também contam com taurina, porém em menor quantidade.

Suplemento de taurina

Os suplementos de taurina existem em forma de cápsulas, ou pó, para ingestão oral. Eles ajudam a diminuir as perdas de proteína e maximizar o aproveitamento de proteínas ingeridas. A taurina, geralmente, é utilizada em suplementos alimentares, combinada a creatina, para potenciar o crescimento muscular durante treinos de musculação. Estudos sugerem que a suplementação de bebidas energéticas ajudam a melhorar o desempenho do esportista e do atleta.

É importante consultar um médico ou um nutricionista antes de começar a consumir o suplemento de taurina.

A L-Taurina é uma substância totalmente benéfica para o organismo humano, desde que seja utilizada na dosagem recomendada e com o auxílio de profissionais da nutrição. É importante manter uma alimentação equilibrada enquanto ingere a taurina. É interessante ingerir a taurina antes da prática de exercícios.

A taurina, geralmente, é utilizada em suplementos alimentares combinada a creatina para potenciar o crescimento muscular durante treinos de musculação.

Riscos do consumo em excesso

Ainda não existem relatos de toxicidade com taurina. Contudo, é importante não ultrapassar a quantidade recomendada da substância.

Combinando a taurina

A taurina, geralmente, é utilizada em suplementos alimentares combinada a creatina para potenciar o crescimento muscular durante treinos de musculação.

A taurina nos energéticos

A taurina está presente em diversas bebidas energéticas. Ela funciona minimizando ou até de certa forma atuando como antídoto para alguns efeitos das outras substancias presentes nos energéticos. Entre os benefícios da taurina está o fato dela minimizar os efeitos do sistema nervoso simpático que é diretamente afetado pelas altas doses de cafeína presente nos energéticos.

Na fórmula dos energéticos também estão presentes os carboidratos (glucoronolactona) o que pode levar ao ganho de peso e aumento do risco de desenvolvimento de diabetes. Alguns trabalhos sugerem que ela melhora a sensibilidade a ação da insulina.

A cafeína é outra substância presente em grandes quantidades nos energéticos. Ela atua no sistema nervoso central como um estimulante direto deixando nosso cérebro em constante alerta e com mais atenção e concentração, diminuindo também a fadiga mental. A cafeína é largamente utilizada como recurso ergogênico, melhora o desempenho, por esportistas e atletas por atuar na elevação da capacidade aeróbica com melhor oxigenação muscular, melhorando assim seu rendimento.

Além deste benefício, a cafeína diminui a percepção de cansaço pelo cérebro do atleta, fazendo com que ele demore um pouco mais para atingir a exaustão. Outro efeito atraente é o termogênico, que ao transformar a gordura em fonte de energia gera calor e eleva a temperatura corporal, acelerando o metabolismo e favorecendo a perda de peso.

Os problemas do excesso de energéticos

O excesso de energéticos pode causar problemas de saúde, especialmente porque leva ao excesso de cafeína. Doses de cafeína acima de 250 mg/dia já podem representar efeitos colaterais.

Os principais problemas do consumo em excesso de energéticos são:

Fasciculação e tremores musculares: Os níveis elevados de hormônios estimulantes correndo pela circulação fazem as pálpebras e músculos tremerem por uma maior excitabilidade.

Infarto e AVC: As substâncias que conferem excitação também geram constrição das artérias. No cérebro, o aperto pode levar a um derrame. No coração, a um ataque cardíaco.

Erosão dentária: O pH baixo dos energéticos fomenta um desequilíbrio bucal. Assim, o cálcio sai dos dentes, alterando a superfície do esmalte.

Gastrite: Os hormônios liberados por causa da cafeína da bebida favorecem a produção de ácidos no estômago. Isso explica a possibilidade de queimação.

Desidratação: Este problema ocorre pelo aumento da frequência com que a pessoa faz xixi.

Ansiedade e insônia: Isto ocorre pelo efeito da cafeína direto no sistema nervoso central.

Fonte consultada:

Médico nutrólgo Euclésio Bragança, especialista em nutrição esportiva e fundador da Integralmédica