Caseína ajuda a manter os músculos

Suplemento também irá proporcionar saciedade, saiba como consumi-lo

A caseína contribui para a manutenção dos músculos - Foto: Getty Images
A caseína contribui para a manutenção dos músculos

A caseína é uma proteína. Existem diversos tipos de caseína, sendo que a mais popular e utilizada como suplemento é a do leite. A caseína micelar é a que costuma ser extraída do leite para se criar o suplemento. A proteína da caseína é de absorção lenta, por isso, ela irá contribuir para a manutenção dos músculos.

PUBLICIDADE

Benefícios da caseína

Ajuda na manutenção dos músculos: As proteínas são importantes para os músculos em diversos momentos. As proteínas de rápida absorção, como o Whey Protein, ajudam a reparar os músculos que sofreram microlesões logo após os exercícios.

Já as proteínas de absorção lenta, como a caseína, contribuem para a manutenção dos músculos. Isto porque o músculo continua precisando de proteínas nas horas após o exercício para se manter. Quando essas proteínas não são oferecidas, não é possível manter a mesma massa muscular.


Proporciona saciedade: A caseína proporciona saciedade por ser uma proteína. Este macronutriente leva mais tempo para ser absorvido. Além disso, as proteínas também estimulam hormônios que dão a sensação de saciedade.

Como consumir a caseína

Procure consumir o suplemento caseína durante a noite, antes de dormir. Isto porque durante o sono profundo há o pico de produção de um hormônio importante para a construção e manutenção dos músculos. As proteínas animais, como a caseína, estimulam a liberação deste hormônio. Não é necessário ingerir a caseína em dias que não irá treinar.

Cuidados ao consumir a caseína

Pessoas com alergia a proteína do leite não podem consumir a caseína. Não há estudos sobre os efeitos dos suplementos de caseína em gestantes e lactantes, por isso estes grupos também não devem ingerir.

É importante ter uma alimentação saudável, rica em fibras, e ingerir bastante água, a fim de não sobrecarregar os rins. O melhor tipo de caseína é o micelar e adquira apenas o produto regularizado pela ANVISA.

A caseína proporciona saciedade - Foto: Getty Images
A caseína proporciona saciedade

O suplemento de caseína é orientado para pessoas que praticam exercícios e buscam o aumento de massa muscular, mas só podem ser ingeridos após a orientação de um nutricionista ou nutrólogo.

Quantidade recomendada de caseína

Costuma-se ingerir entre 30 e 60 gramas de caseína por dia, mas quem irá determinar esta quantidade é o nutricionista ou nutrólogo.

Riscos de ingerir caseína em excesso

O excesso de proteínas ocorre quando a pessoa ingere mais de 1,7 gramas de proteína por quilo de peso por dia. Grande quantidade de proteínas podem alterar o funcionamento dos rins, afetar o fígado e proporcionar perde de cálcio dos ossos, favorecendo a osteopenia ou a osteoporose.

Caseína e o câncer

Há uma relação entre o câncer e a caseína. Esta proteína não irá favorecer o surgimento do câncer. Contudo, alguns estudos apontam que uma vez instaurada a doença, a caseína pode contribuir para que o câncer cresça mais rapidamente. Isto porque o excesso de proteína estimula o aumento do hormônio IGF1 que, por sua vez, estimula o crescimento de um câncer. Por isso, é melhor que pessoas com câncer não consumam a caseína.

Como combinar a caseína

É interessante ingerir a caseína com um carboidrato. Isto porque quando o nosso corpo possui as quantidades corretas de carboidratos, não precisa utilizar as proteínas como fontes de energias, permitindo que elas sejam utilizadas na manutenção dos músculos.

A relação entre a caseína e o câncer é complexa - Foto: Getty Images
A relação entre a caseína e o câncer é complexa

Logo após os treinos, a pessoa pode ingerir uma proteína de absorção rápida, como o Whey Protein. Assim, os músculos são reparados logo após os exercícios e a caseína entra depois, contribuindo para que os músculos permaneçam.

Interações

Existe a possibilidade da caseína interferir na absorção de alguns antibióticos. Por isso, caso esteja consumindo algum antibiótico, informe seu nutricionista ou nutrólogo.

Fonte consultada:

Roberto Navarro, nutrólogo e clínico geral, especialista Minha Vida. CRM: 78392/SP