Cogumelos podem ajudar no tratamento do câncer

Os fungos também possuem ação antioxidante, antimicrobiana e são interessantes para os portadores do vírus HIV

Cogumelos ajudam no combate ao câncer - Foto: Getty Images
Cogumelos ajudam no combate ao câncer

Os cogumelos comestíveis são fungos com espécies originárias de diversos pontos do mundo. Apesar de não serem muito consumidos no Brasil, eles são saudáveis e pouco calóricos.

PUBLICIDADE

O alimento possui boas quantidades de proteínas, fibras, fósforo e vitamina C e poucas gorduras. Além disso, os cogumelos contam com ação antimicrobiana, anticancerígena, antioxidante e ainda há estudos preliminares que apontam o fungo como um poderoso aliado para os portadores do vírus HIV e no controle do diabetes e do colesterol.

Apesar de todos serem muito benéficos, os cogumelos que se destacam são o Agaricus brasiliensis, mais conhecido como o cogumelo-do-sol, que está sendo estudado como um aliado no tratamento e prevenção de alguns tipos de câncer e o shitake que conta com ação antioxidante, antimicrobiana e contribui com o sistema imunológico.


Os principais nutrientes dos cogumelos

Todos os cogumelos comestíveis são ricos em diversos nutrientes, porém, há algumas variações de acordo com a espécie. Os cogumelos possuem boas quantidades de proteínas, que são necessárias para o desenvolvimento do organismo. O champignon é um dos tipos que conta com as maiores quantidades deste nutriente.

Esses fungos também possuem muitas fibras, com destaque para o shitake. O nutriente contribui para o melhor trânsito intestinal, proporciona saciedade, ajuda a diminuir o colesterol, melhora a imunidade e pode prevenir o diabetes.

O alimento conta com poucos lipídeos e considerável quantidade de fósforo que é um mineral que atua no metabolismo auxiliando na ativação das vitaminas do complexo B e também tem a função de fortalecer ossos e dentes, juntamente com o cálcio.

O ácido fólico está presente nos cogumelos, especialmente no shitake. A carência desta substância pode levar a doenças cardiovasculares, câncer e desordens mentais, como a doença de Alzheimer, além de resultar na má formação do feto e más formações congênitas. A vitamina C também está presente nos cogumelos. Ela é interessante para a saúde porque melhora a imunidade e possui ação antioxidante.

O nutriente é essencial para as gestantes, pois contribui para evitar malformações neurológicas no feto, já que ele ajuda na construção do tubo neural do bebê. Além disso, um estudo publicado pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, observou que tomar suplementos alimentares de ácido fólico durante a gravidez reduz as chances do bebê nascer com autismo.

Alguns tipos do fungo contam com o ergosterol, substância que ao reagir com a radiação ultravioleta forma a vitamina D. Este nutriente é importante para o desenvolvimento e manutenção do tecido ósseo, os processos celulares, na secreção hormonal, no sistema imune e em diversas doenças crônicas não transmissíveis.

Não bastasse todos esses nutrientes, o fungo ainda tem polissacarídeos, principalmente as beta-glucanas, que contam com forte atividade antioxidante. Assim, eles agem contra o envelhecimento precoce, na longevidade, no controle das taxas de açúcar, modulam o sistema imunológico e inibem o crescimento tumoral. O cogumelo-do-sol conta com as maiores quantidades de beta-glucanas.

Tabela nutricional das espécies de cogumelos mais cultivadas no Brasil

Nutrientes Shitake - 43 g Shimeji - 43 g Champignon de Paris - 43 g
Calorias14 kcal15 kcal13 kcal
Carboidratos 2.5g 3.9g1.8g
Proteínas0.68 g0.94 g1g
Lipídeos0.17g0.17g0.17g
Fibras1.7 g1.5 g0.64g
Fósforo38.27g47.3g 48.6 g
Folatos 0.3 g0.34 g0.43 g
Vitamina B10 mg0.017mg 0.013mg
Vitamina B20.025mg0 mg 0.1 mg
Vitamina C3mg 2.79 mg2.7 mg

Fonte: Regina Prado Zanes Furlani (Tese de Doutorado ?Valor nutricional de cogumelos cultivados no Brasil? Faculdade de Engenharia de Alimentos ? UNICAMP).

Confira qual a porcentagem do Valor Diário* de alguns nutrientes que a porção recomendada, 43 gramas, de cogumelo carrega:

  • Shitake possui 7% de fibras, Shimeji e champignon possuem 7% de fósforo, Champignon possui 2% de proteínas, Shitake possui 6,6% de vitamina C.

*Valores Diários de referência para adultos com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8.400 kj. Seu valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.

Os benefícios dos cogumelos para a saúde

O cogumelo e o câncer: Estudos preliminares apontam a relação entre o cogumelo e o tratamento do câncer, isto porque o alimento é rico em beta-glucanas, especialmente a lentinana. Essa substância estimula o sistema imunológico, especialmente células chamadas de natural killer, que destroem as células cancerígenas.

O shimeji é bom para a saúde - Foto: Getty Images
O shimeji é bom para a saúde

O mastologista e oncologista Jorge Laerte Gennari, ex-professor da Faculdade de Medicina do Amazonas, utiliza comprimidos de cogumelo-do-sol como parte do tratamento do câncer de mama. "Tenho 400 pacientes em observação para saber se o cogumelo auxilia no tratamento deste câncer. Porém, isso não invalida a recuperação convencional, como cirurgia e quimioterapia, ele não é milagroso", alerta Gennari.

O cogumelo que possui maiores quantidades de beta-glucanas é o cogumelo-do-sol, Agaricus brasiliensis. Porém, o champignon de Paris e o shitake também contam com esta substância benéfica para o organismo.

Ação antimicrobiana: Alguns cogumelos se destacam pela ação antimicrobiana e assim podem combater alguns microrganismos prejudiciais para o organismo. Isto ocorre porque em seu ambiente natural os cogumelos necessitam de compostos antibacterianos e antivirais para sobreviver.

Certas espécies se destacaram por sua ação antimicrobiana. O pleurotus salmon possui esta atividade comprovada contra certas bactérias por conter a substância pleurotina. Segundo a bióloga Sascha Habu, o shitake, o funghi e o cogumelo dourado também possuem ação antimicrobiana.

O cogumelo e o HIV: As beta-glucanas também podem ser interessantes para o tratamento de portadores do vírus HIV. Isto porque como elas melhoram o sistema imunológico, também podem ser interessante para o tratamento da doença.

Além disso, o cogumelo possui ação antimicrobiana que pode atuar contra os vírus, pesquisas preliminares mostraram melhora dos sintomas do HIV após o consumo do fungo. Ainda são necessários mais estudos para se comprovar este benefício. É importante ressaltar que o cogumelo pode ser somente um aliado no combate ao HIV, assim continua necessário manter o tratamento tradicional da doença.

Ação antioxidante: Os cogumelos possuem forte ação antioxidante, ou seja, agem combatendo os radicais livres do organismo. Isso implica positivamente em várias doenças como o câncer, a artrite reumatoide, cirrose, arteriosclerose, bem como processos degenerativos associados com a idade.

A ação antioxidante ocorre porque os cogumelos são ricos em vitaminas A e C, betacaroteno, compostos fenólicos, terpenos, entre outras substâncias que possuem este efeito. Os principais tipos que se destacam por essa ação positiva são: champignon de Paris, portobello, cogumelo-do-sol, shitake, hiratake, cogumelo rei e cogumelo salmão.

Diminui o colesterol: Estudos iniciais relacionam os cogumelos com a diminuição do colesterol. Uma das questões que poderia contribuir para o benefício é o fato de alguns cogumelos, como o shimeji e o oudemansiella canarii, serem ricos em vitamina B3, que ajuda na diminuição do colesterol ruim, LDL. Outra possibilidade é o fato do fungo ser rico em fibras o que também contribui para reduzir os níveis do LDL. Alguns cogumelos especialmente o shitake, possuem a eritadeina, esta substância também ajuda a reduzir os níveis de colesterol.

Combate o diabetes: Outro ponto interessante dos cogumelos é que ajudam no controle do diabetes. Várias espécies possuem propriedades hipoglicêmicas, que baixam o açúcar no sangue, devido à quantidade de fibras, polissacarídeos e outros compostos presentes no alimento.

As beta-glucanas também teriam um efeito antidiabético. Diversos estudos preliminares realizados com ratos, entre eles um feito pela Universidade de Gimhae na Coreia do Sul, mostraram que após consumirem o cogumelo-do-sol, que é rico em beta-glucanas, houve redução na concentração de glicose dos animais.

Bom para quem tem doenças na tireoide: Alguns estudos apontam que certos tipos de cogumelos possuem compostos que agem no metabolismo e podem auxiliar no controle de alguns hormônios. Alguns deles são os secretados pela tireoide, portanto o consumo do alimento é interessante para quem tem doenças na tireoide como o hipertireoidismo e o hipotireoidismo.

Quantidade recomendada de cogumelos

Não existe uma quantidade exata recomendada de cogumelos. Alguns especialistas orientam em torno de 250 a 300 gramas por semana, cerca de 43 gramas por dia, para uma alimentação balanceada.

Riscos do consumo em excesso

Não há riscos no consumo de cogumelos, mas é importante inseri-lo em uma dieta equilibrada.

Como consumir os cogumelos

Todos os cogumelos comestíveis possuem nutrientes interessantes para compor uma dieta balanceada. O alimento pode ser consumido de diversas maneiras como refogado, em molhos e na salada.

No caso do champignon de Paris evite a versão em conserva. Isto porque ela possui muitos aditivos químicos que podem ser prejudiciais para a saúde. Portanto, procure consumir sempre os champignons frescos.

Quanto ao funghi secci, que é basicamente o cogumelo seco, é interessante observar a maneira como ele foi desidratado. Não ultrapasse a temperatura de 60 graus, pois assim o alimento mantém os seus princípios ativos.

Note o aspecto do cogumelo é importante antes de consumi-lo. Este alimento tem um prazo de validade e quando está ruim solta uma água escura e um odor característico. Também é importante consumir somente os fungos cultivados por produtores corretamente cadastrados. Não consuma cogumelos que colher no ambiente, pois há o risco de alguns serem venenosos ou alucinógenos.

Compare o cogumelo com outros alimentos

Nutrientes Shitake - 43 g Shimeji - 43 g Champignon de Paris - 43gMaminha grelhada - 100 g
Calorias14 kcal15 kcal13 kcal 153 kcal
Carboidratos2.5g3.9g1.8g0 g
Proteínas 0.68 g0.94 g1g 30.7 g
Lipídeos 0.17g0.17g0.17g2.4 g
Fibras 1.7 g1.5 g 0.64g 0 mg
Fósforo 38.27g47.3g48.6 g237 g
Vitamina B10 mg0.017mg 0.013mg 0 mg
Vitamina B2 0.025mg0 mg0.1 mg 0,04 mg
Vitamina C3mg 2.79 mg 2.7 mg 0 mg

Fonte: Regina Prado Zanes Furlani (Tese de Doutorado ?Valor nutricional de cogumelos cultivados no Brasil? Faculdade de Engenharia de Alimentos ? UNICAMP) e Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos (TACO) - versão 2, UNICAMP.

Apesar de conter boas quantidades de proteínas, os cogumelos não podem ser considerados substitutos da carne. Isto porque a carne conta com quantidades consideravelmente maiores deste nutriente.

Contudo, o cogumelo conta com fibras, que ajudam no trânsito intestinal, vitamina C, que contribui para a melhor imunidade, e beta-glucanas que tem como principal benefício a ação anticancerígena. A carne bovina não possui estas substâncias.

Além disso, o produto de origem animal conta com mais gorduras, inclusive a saturada, que favorece doenças cardiovasculares, enquanto o fungo não possui este lipídeo.

Contraindicações

Algumas pessoas podem ser alérgicas aos cogumelos, para este grupo o alimento não é recomendado.

Onde encontrar

Os cogumelos podem ser encontrados em hortifrútis, lojas de produtos naturais e no supermercado.

Receitas com cogumelos

Os cogumelos podem ajudar a combater o diabetes - Foto: Getty Images
Os cogumelos podem ajudar a combater o diabetes

Lasanha com shimeji
Torta de cogumelos
Macarrão com cogumelo e ricota

Fontes consultadas:
Bióloga Arailde Fontes, doutora em biologia e pesquisadora em fungos.
Oncologista e mastologista Jorge Laerte Gennari.
Bióloga Sascha Habu, mestre em Ciências dos Alimentos e professora do curso de nutrição da Universidade Federal de São Paulo.
Denise Abackerli, produtora de cogumelos da Zucca Cogumelos.
Biotecnóloga Priscila Credendio, mestre em Ciência dos Alimentos.
Revisado pela nutricionista Cátia Medeiros.