Dieta mediterrânea pode tratar depressão, indica estudo

Alimentos como azeite de oliva e peixes mostrou efeitos positivos para saúde mental

POR REDAÇÃO - ATUALIZADO EM 18/12/2017

Manter uma boa alimentação traz benefícios ao corpo, entretanto, um novo estudo, publicado pela revista Nutritional Neuroscience nesta terça-feira (12), sugere que os hábitos alimentares também influenciam a saúde mental. A pesquisa foi realizada pela Universidade da Austrália do Sul e revelou que a dieta mediterrânea, que inclui alimentos como peixes, azeite, vegetais, legumes, frutas e nozes, ajuda no tratamento de pessoas com depressão.

PUBLICIDADE

A análise contou com voluntários entre 18 e 65 anos com diagnóstico de depressão, que foram separados em dois grupos: um seguiu com terapias em grupo quinzenais e outro, a dieta mediterrânea. A cada 15 dias, este segundo grupo também participou de cursos de nutrição e oficinas de culinária.

Os dados foram computados ao longo de três meses e o resultado apontou que ambos os grupos tiveram uma evolução no quadro, mas aqueles que fizeram a dieta apresentaram uma melhora mais significativa. "É fantástico poder oferecer às pessoas melhoria significativa apenas por mudanças na dieta. Além disso, nós mostramos que com conselhos de especialista em nutrição e oficinas ensinando como preparar refeições simples, deliciosas e baratas, é possível alcançar dietas saudáveis", comemorou Natalie Parletta, uma das autoras do estudo.

Ainda segundo ela, geralmente as pessoas não acreditam que os hábitos alimentares também podem ajudar na saúde mental. "Nossos cérebros precisam de nutrientes e outros fatores ligados à dieta para funcionar bem. Talvez mais que qualquer outro órgão do corpo", disse a pesquisadora.